THE DELAGOA BAY REVIEW

12/02/2010

MANIFESTO PELA LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Filed under: Imprensa Portuguesa, Politica Portuguesa — ABM @ 1:56 am

Aspecto de uma das t-shirts exibidas na manifestação em frente à Assembleia da República

por ABM no texto e MVF nas fotos (São Bento, Lisboa, 11 de Fevereiro de 2010)

Pelo menos cinco Maschambeiros compareceram ao princípio da tarde para participar na manifestação, para que foram convocados os signatários de um grupo onde já pontificam cerca de vinte mil nomes, em sinal de preocupação com as alegadas esforços de violação ao direito à liberdade de expressão.

ABM, Pedro S, Jaime S, Marta R e Miguel VF aproveitaram o lindo sol (o astro, não o jornal) que se fazia sentir à hora de almoço para se juntarem aos cerca de cem manifestantes e um número considerável de profissionais da comunicação social, para criarem o que foi um evento algo mediático, dado não só o tópico, mas a tensão daquele momento, sendo que por essa hora já se sabia de uma decisão de um tribunal local de procurar impedir o Sol (o jornal, não o astro) de amanhã publicar uma segunda série de revelações relacionadas com supostos esforços do actual executivo de influenciar o que sai nas notícias em Portugal.

A decisão do tribunal foi solicitada por um administrador do Grupo PT com ligações ao PS, com vista a proteger o sigilo do conteúdo das conversas havidas em torno dos esforços do executivo de Sócrates de afectar o tratamento das notícias na estação de televisão da TVI. Recorde-se (já mencionado neste blogue) que desses esforços resultou a saída de José Eduardo Moniz e a extinção de um programa de notícias da responsabilidade da jornalista Manuela Moura Guedes, ambos ostensivamente hostis ao governo do dia e em particular ao PM.

O esforço, primariamente dos organizadores do grupo de apoiantes de Mário Crespo do Facebook, resultou, na medida em que os media reproduziram as preocupações expressas pelos presentes com a liberdade de expressão.

Houve algumas desinteligências na missão Maschambiana. Miguel VF não conhecia ninguém, que não o conhecia a ele (a nossa prezada initimidade é prezada mas é recente), Marta R veio sem avisar e estava do outro lado da manifestação, ABM, Pedro e Jaime enganaram nas horas e chegaram cedo uma hora, pelo que decidiram passar essa hora a comer rissóis e sandes de peixe espada com Coca Cola numa tasca boa e baratinha mais acima na rua de São Bento,  mesmo em frente à casa onde viveu Amália Rodrigues, e depois ficaram sentados mais ou menos à frente da Fundação Mário Soares, a banharem-se no sol (o astro) enquanto os manifestantes se iam congregando.

O aparato de carros-satélite de televisão e de polícia e de barreiras era quase caricato para um grupo eminentemente pacífico e erudito. A manifestação acabou por ser uma pacata conversa entre jornalistas, os líderes da pandilha e o ocasional político ou activista que produziu meia dúzia de sound e video bytes para as cadeias.

Por volta das 14 horas todos arrumaram as botas e foram para casa ou de volta para o trabalho.

Entretanto é meia-noite e o Sol está nas bancas com mais revelações.

As fotos:

A manifestante número 1 (foi a primeira a chegar)

A peitção do grupo em defesa da liberdade de expressão

Aspecto dos manifestantes em frente à Assembleia da República

Mais um aspecto da manifestação

Dentro da AR, o parlamento debatia e aprovava o orçamento de Estado para 2010, que foi aprovado e o tal que é suposto "baixar" o défice para 8.5%

As carrinhas das estações de televisão em frente ao edifício parlamentar (foto ABM)

As carrinhas das estações de televisão estavam em peso em frente à AR

ABM bebe água do Luso e posa em frente à Fundação Mário Soares, em frente à AR (foto JS)

Adenda de jpt: quem quiser ver a “nossa” Marta na manifestação é espiar aqui.

23 comentários »

  1. Belas fotos, bom texto e optimo convivio maschambeiro. Aqui a marquesa ficou-se por casa de volta da familia que cresce e espera ansiosamente e a qualquer hora a chegada de mais um membro.
    Ficam aqui as saudacoes pelo evento e a inveja de nao ter participado… principalmente no repasto do peixe🙂

    Comentar por AL — 12/02/2010 @ 2:21 am

  2. Fiz as fotos a preto e branco porque era o filme que tinha… Nada, foi pena não ter conhecido pessoalmente os maschambeiros presentes, mas fica para outra qualquer que se espera para breve. Pode ser sem manif ou manifestos. Um copo de vinho ou similar serve🙂

    Comentar por MVF — 12/02/2010 @ 2:59 am

  3. Oh ABM tu com essa garrafa em pose de microfone pareces mesmo um reporter!
    MVF vamos nessa! Uma tarde de peixeirada e vinho com os maschambeiros? Hmmm agrada-me!

    Comentar por AL — 12/02/2010 @ 3:17 am

  4. “sandes de peixe espada com Coca Cola” – sandes de peixe-espada? Mas o que é isso? Nunca de tal ouvira falar – e ocorre-me lançar já uma petição e até manifestação contra tal petisco.

    Bem, pelos vistos para a próxima manifestação têm que levar T-shirt, ou pelo menos braçadeira, “ma-schamba” [www.ma-schamba.com]. Um grande marqueting para o estaminé – e para ver se se reconhecem.

    Mais, se 5 bloguistas/leitores do ma-schamba estiverem numa manifestação em que um dos manifestantes (o próprio do ABM) diz ter tido 100 pessoas (segundo a taxa habitual de exagero dos manifestantes deve ter tido 30) isso significa que o nosso blog tinha uma elevadissima percentagem. Deveríamos receber o globo de ouro do ano “versão Av. da Liberdade” (ou uma assinatura gratuita do JN).

    Adenda: AL uma avó, ainda que recente, não vai para as tascas com bloguistas comer “sandes de peixe-espada”.

    Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 7:21 am

  5. Cá para mim depois deste post o P-M José Socrates irá organizar a aquisição da empresa “Água do Luso” por um grupo económico ligado ao Partido Socialista e impedir que esta patrocine iniciativas dolosas para a nação, perdão, para o país.

    Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 8:58 am

  6. Estou a entrar pé-ante-pé nas lides ma-shambeiras, mas confesso que já me conquistaram, mas peixe-frito metido numa sandocha… hum! nessa não alinho.

    Comentar por MOdete S Silva — 12/02/2010 @ 10:41 am

  7. Ninguém “pára” este Mashamba!

    Portugal “ainda” é um País “democrático”, ou já se luta pela Democracia?

    Hum.

    Comentar por umBhalane — 12/02/2010 @ 11:29 am

  8. hoje acorde que nem o tempo. Essa amchambeira que falas era eu???😉

    olha o teu mal foi a tasca, eu quano dei por mim só tirava fotos dos meios de comunicação, quiça aquela estranha sensação que estava ali por eles. também por eles, porque não por eles? é deles que também se tratou o dia de ontem. com sol, não resisti e a uma jornalista perguntei com este meu jeito de novata “lembra-se que N.Mandela há 20 anos estava a sair da prisa e que o M.Crespo estava lá? e que quando entrevistado 2 semanas depois N. Mandela até se lembrava de Portugal, país em que esteve meras 2h de passagem onde lhe ofereceram um vinho do Porto e perguntou a Crespo, se no aeroporto ainda faziam isso?”. Claro que a jornalista não se prestou a mais declarações😉
    Gostei particualrmente desta “intervenção”, volvidos 2 anos que aqui cheguei e que a liberdade anda a cheirar mal e os medos se falam nos cafés, e as escutas que não se explicam. Todo este cenário se juntarmos ao relato feito pelo Christophe Dejours a 1 deste mês (http://www.publico.pt/Sociedade/um-suicidio-no-trabalho-e-uma-mensagem-brutal_1420732) leva-nos a uma estranha e brutal realidade de um país que ainda acha estar a “caminho” da estabilidade.
    Mas sem querer pesar e porque o frio é tanto já me doi os nós dos dedos todos (são muitos), tive pena de não te ver, mas tive também uma excelente companhia. Não é todos os dias que se vai a uma manif com um pai!

    Comentar por marta reprezas — 12/02/2010 @ 12:12 pm

  9. Com tudo isto está tudo a passar ao lado do que mais importante este post nos transmite: “Fiz as fotos a preto e branco porque era o filme que tinha… ” (MVF dixit) – deve ser o último dos moicanos!

    Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 12:49 pm

  10. Grande ABM, escrevo aqui, (e porque sei que não irão amputar-me as palavras) para deixar a minha apenas uma nota, sabendo o quanto o ABM é dedicado à água, seja ela para beber ou mergulhar o corpinho, deveria ele também brindar-nos com uma foto da famosa tasca das sandochas de peixe frito, mas desta vez com VINHO!

    Comentar por Paulo Gonçalves — 12/02/2010 @ 2:19 pm

    • Tenha o sr. a certeza que aqui ninguém amputa palavras a ninguém (chamem o Zainal, por favor, para comprar o ma-schamba, e caro, e caro)

      Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 2:44 pm

  11. Aos conservadores pantagruelicos que por aqui andam, na minha mente o tal de petisco de peixe-espada e’ o proverbial filete, bem temperadinho de alho e limao, so que mais especificamente e’ filete de peixe espada que, pelo que me e’d dado ver nos supermercados locais, parece estar na moda. Quica uma manobra emcapotada do AJJ para comecar a invadir o “contenente”? ABM, estou enganada?

    Comentar por Ana Leao — 12/02/2010 @ 2:26 pm

    • Sanduíche de filete?! na moda … ó meu Deus, como está Portugal. Compreendo agora a verdadeira causa que leva a bem-instalada burguesia a manifestar-se na rua qual holigões professores do secundário ou até, permito-me, operários têxteis do vale do Ave, condenados ao desemprego “estrutural” (como se diz) …

      Sanduíche de filete? E na moda …? Nos meus tempos de juventude um dos meus amigos (então também jovem e hoje em dia leitor filiado do ma-schamba) era conhecido pelos seus lanches de sandes de rissol (ou rissóis, consoante o apetite, normalmente voraz) acompanhado de Sumol de ananás. Mas isso eram tempos da adolescência tardia (pré-trinta anos). E eram rissóis, com aquela célebre pasta química no lugar das proteínas. Agora, sanduíches de filete ….!

      Isso nem com vinho. Quanto mais com água. Vou já fazer uma petição online

      Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 2:43 pm

  12. Isto hoje nao me esta a correr bem… O que esta na moda sao os filetes de peixe espada e nao o repasto a que o ABM se refere. Quanto aos filetes enviados num pao, nao me digas que nunca os viste no balcao de uma tasca, mesmo ao lado dos panados, tambem eles enfiados num pao. E olha que sao bem bons, tanto uns como os outros!🙂

    Comentar por AL — 12/02/2010 @ 2:51 pm

  13. Eu é mais moelas … Quanto às sandes do filete eu percebi mal: os rapazes como estavam numa manifestação acharam que “era assim” …

    Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 4:09 pm

  14. Feitos os comentários de ABM, eu nada mais acrescento, o que importa é que estivemos presentes e a representar a machamba…….

    Comentar por jaime santos — 12/02/2010 @ 5:36 pm

  15. Pus uma adenda, particularmente dedicada à MR

    Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 7:05 pm

  16. Em nome da Liberdade da Expressão, gostava de elucidar os presentes quanto ao seguinte:

    1. A tasca em frente à casa da Amália foi uma oportuna paragem logística, pois eu estava cheio de fome, a manifestação era dali a uma hora e eu já nem via direito

    2. A referida tasca servia pratos do dia bons e baratos (meias-doses dos pratos do dia a menos de 4 euros) mas como íamos ali petiscar, fiquei-me pelo que estava no mostrador.

    3. O mostrador tinha bolos, pão de leite e, em bandejas, fatias de bifana e fatias de peixe, já prontos. Num rago de inspiração dietética, perguntei se ela me fazia uma sanduíche com o peixe.

    4. Atalho que eu, o Jaime e o Pedro comemos muito bem e a conta para os três foi apenas sete euros e oitenta cêntimos, incluindo três bicas cheias, a minha sem cafeína. É bom saber que três pessoas podem comer bem junto à Assembleia da República portuguesa por um total de sete euros e oitenta cêntimos. Em caso de desgraça económica, os deputados não morrerão de fome.

    5. JPT, eu não deixei passar mas descontei o real alcance do que o MVF disse: que fotografou as exéquias com máquinas com filme ?!!??!! a sério?? se é assim, MVF, tenho uma magnífica Nikon F2020 para ti aqui em casa, herança do pai Melo e que está numa gaveta à espera de melhor uso. Nos meus tempos da Brown tirei um curso de revelação e fiz muitas, muitas, muitas sessões de revelação, que eram tão divertidas como tirar fotografias. Mas já mudei de tecnologias e o meu problema agora é como voltar aos meus álbuns de negativos de há 20 e 30 anos.

    6. No fim, a nossa presença discreta no evento ontem foi um modesto e bem disposto contributo e uma expressão do nosso desejo de que Portugal, e os portugueses, não enveredem por caminhos que no fundo, mesmo no aparente marasmo em que se vive, ameaçam cercear liberdades que muitos tomam por garantidas.

    Comentar por ABM — 12/02/2010 @ 9:46 pm

  17. JPT: fui. plantar rabanetes e cenouras😉 já apanhei altas fotos com o meu pai, marcantes no mínimo. fui um cadinho visada, só pode ter sido por ter ido totalmente de branco!
    ABM: tou escalandizada com os teus 7€ pa 3 bocas!!! to say the least bjos

    Comentar por marta reprezas — 12/02/2010 @ 11:32 pm

  18. desculpem: escandalizada. em definitivo meu teclado presta-se a algumas disfunções disléxicas

    Comentar por marta reprezas — 12/02/2010 @ 11:35 pm

  19. Eu estou é “escalandizado” por não haver o camarão tremoço do nosso PSB ali às portas do dr. Socrates …, perdão engenheiro Socrates. Talvez por isso o mau (até maléfico) humor que o vem caracterizando.

    Comentar por jpt — 12/02/2010 @ 11:59 pm

  20. P Gonçalves

    Um abraço e na próxima “manif” farei a devida cobertura do evento, tascas incluídas. O risco é de nos tornarmos como aqueles malucos dum site qualquer em Lisboa que rouba bandeiras à câmara e mete estátuas nas praças. Mas lata não nos falta e, mais importante, bom senso.

    MR

    Eu sei que estás espumadamente associada mas a tua alma é maschambeira. Teu pai fez um papel digno do nome “cidadania”. Infelizmente, talvez pela sandes de pescada, também não o vi na altura, só na….RTP, SIC, TVI, e mais meia dúzia dos empórios da praça.

    A conta não foi 7 euros. Foi 7 euros e 80 cêntimos. Esqueci-me que comi no fim um pastel de nata que foi um prazer alucinante. Para compensar a perda de calorias da bica descafeinada com adoçante.

    Comentar por ABM — 13/02/2010 @ 12:57 am

  21. ABM
    No caso até fui mesmo dentro do espírito “passada” e “QP” que tão bem conheces, mas o mór apegou-se cândidamente à minha iniciativa e que gostei muito😉

    Permite-me reforçar o teu ponto 6

    “6. No fim, a nossa presença discreta no evento ontem foi um modesto e bem disposto contributo e uma expressão do nosso desejo de que Portugal, e os portugueses, não enveredem por caminhos que no fundo, mesmo no aparente marasmo em que se vive, ameaçam cercear liberdades que muitos tomam por garantidas”

    pois….beijos

    Comentar por marta reprezas — 13/02/2010 @ 12:36 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: