THE DELAGOA BAY REVIEW

20/06/2010

BOLETIM DO MUNDIAL Nº21: OS JOGOS DE SÁBADO

Filed under: Mundial de Futebol 2010 — ABM @ 4:03 am

por George Ribéro, editado por ABM (Domingo, 20 de Junho de 2010)

Os comentários dos jogos de sábado do Campeonato Mundial.

Holanda 1 – Japão 0

Estava a ver o jogo e à espera do apito do intervalo para começar a juntar algumas notas para este comentário quando a Holanda inesperadamente marcou um golo, um tiro de Snejider à entrada da grande-área. O guarda-redes Japonês, qual caça Zero, voou para a bola cedo de mais. Ainda tocou na bola, mas já estava muito para a direita da linha da sua trajectória. Mas que grande tiro. Pensei logo nos Adamastores e o que um Tuga faria numa situação dessas. Eu penso que sei, dominavam a bola, volta para trás, certificava-se que não havia nenhum Japonês num raio de … 20 metros, pensava, pensava e depois dava a bola para o colega do lado se desenrascar. Este mandava a bola para o Cristiano Ronaldo e Prontes, o jogo continuava.

Os Japoneses parece que ficaram mesmo, mesmo chateados com o golo, (eu também ficava) mas pareceram reagir bem. Acho que não estão com medo de levar mais um golo. É outra mentalidade. De certeza que não estagiaram na Covilhã nem tinham matraquilhos no hotel.

Do lado oposto, a laranja continua a ser mecânica. Viu-se o Kuyt, que é avançado, a dobrar o defesa direito holandês, que tinha ido para outras paragens no campo. O tal futebol moderno descoberto nos anos 70. Parece fácil mas garanto que não é. É preciso muito rigor, muita disciplina, treino e cumprir à risca com aquilo que está programado. Tem que existir confiança no colega. Meramente desenrascar não chega.

Na segunda parte assistiu-se ao incrível. Saiu o Van Der Vaart, que é um médio e entrou o Elia que é um… avançado. Qualquer equipa que estivesse a ganhar nesta fase do jogo faria exactamente o contrário. Mas neste caso a Holanda parece querer defender o resultado, atacando. Outra vez uma questão de mentalidades. O Japão joga bem e os médios fazem muita pressão sobre os jogadores holandeses, que têm tido mais tempo a bola em seu poder. Este holandês Afellay, enche as medidas. Bom jogador, já falhou uns golos mas é médio e tem pinta.

No cômputo geral,um bom jogo, Nenhuma equipa foi defensiva e quando assim é, dá gosto ver. A Holanda está na fase seguinte, com todo o mérito.

Aliás creio que já todos o esperavam, mesmo os mais pessimistas.

Austrália 1 – Gana 1

A Austrália começou muito bem e foi quem marcou primeiro. A meio da primeira parte, um jogador da Austrália, de nome Kewell, pôs o braço à frente da bola e lá está, foi penalty. O australiano foi expulso e o ganês Gyan, um excelente jogador, fez o empate. A Austrália começou então a jogar um jogo mais lento, com muitos passes curtos (pudera, estava jogar com menos um jogador) e a ter a bola mais tempo em seu poder.

O guarda redes da Austrália, o Sr. Schwarzer, fez uma excelente exibição, teve defesas muito boas e assim manteve o empate. Curiosamente, mesmo com dez unidades em campo e vendo que o Gana não acelarava assim tanto quanto se esperava, a Austrália começou a arriscar mais e até ameaçou com mais um golo. Assim, os últimos quinze minutos da partida foram um pouco mais movimentados.

No fim, o empate resultou melhor para o Gana, que ficou à frente do seu grupo, com quatro pontos. A Austrália complicou a permanência na África do Sul pois está em último, com um ponto apenas.

Dinamarca 2 – Camarões 1

Outro jogo emotivo deste Mundial. Os Camarões começaram bem o jogo e marcaram primeiro, pelo pé de Etoo. Depois foram criando inúmeras oportunidades de golo mas sem as concretizar. Dominar e criar oportunidades é meio caminho andado para a vitória, mas de nada serve se não resultar na concretização de golos. Foi isso que aconteceu. Os Dinamarqueses também jogaram bem, mas no fim do dia foram mais eficazes, mais pragmáticos. Afinal, são nórdicos e já foram campeões da Europa. Ao contrário dos Camarões (e também de Portugal), não precisam de quarenta oportunidades para marcarem um golo.

Assim, aos poucos a Dinamarca foi equilibrando a balança e acabaram por marcar dois golos, o que põe esta selecção a sonhar com a fase seguinte. No entanto, terão que rever aquela defesa que não está lá grande coisa. Já se tinha visto isso no jogo anterior, com a Holanda, quando perderam por 2-0. O Dinamarca vs Japão promete. Só uma destas selecções seguirá em frente.

Quanto aos Camarões, notou-se que o lado esquerdo da defesa deu muitos espaços ao ataque Dinamarquês e foi precisamente por aí que sofreram o segundo golo. Ekotto ataca bem, mas esqueceu-se de defender o flanco e criou espaços para o ataque adversário agradecer e entrar.

Digamos que não foi um jogo jogado a meio campo. Não perderam muito tempo com passes e mais passes. As duas equipas preocuparam-se em atacar e a bola tão depressa estava numa grande área como logo a seguir estava na outra. Ganhou a mais eficaz.

Os africanos já podem fazer as malas e gozarem umas semanas de férias mas não sem primeiro jogarem o último jogo contra a Holanda (já qualificada) e poderem assim tentarem salvar a honra.

1 Comentário »

  1. Os holandeses (e o Kovacs, acho que romeno – escrevo sem googlar) inventaram o futebol moderno há quarenta anos. Agora é o futebol pós-moderno – multicultural, perdão, multilateral(izado)
    [ABM, o ma-schambeiro honorário Georges Ribéro descodificar-te-á o meu comentário]

    Comentar por jpt — 20/06/2010 @ 4:12 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: