THE DELAGOA BAY REVIEW

28/06/2010

UMA NOTA SOBRE O HINO EUROPEU

Filed under: Música — ABM @ 4:46 am

por ABM (Segunda-feira, 28 de Junho de 2010)

Há uns dias, o nosso Senador JPT ia-me mordendo qualquer coisa por ter referido gostar do IV movimento da Nona Sinfonia de Beethoven. Não pelo facto em si, mas porque a conversa vinha a propósito de essa passagem da sinfonia composta por Beethoven ter sido adoptada como o (sem aspas) Hino da União Europeia, algo que o JPT contesta com algum alarde. Como referi na altura, é assunto em relação ao qual eu basicamente vivo alheio, confortável no conhecimento de que a ainda andava a UE de fraldas e já eu apreciava a sua beleza e pujança e até trautava, sem conhecer basicamente uma palavra da língua alemã, as estrofes de von Schiller.

Esta noite estava a pesquisar umas coisas sobre a mistificante Leni Riefenstahl (aqui na Casa a pesquisa nunca acaba, o Gúgele até deita fumo às vezes) e não sei bem como, enquanto estava à procura da letra do alegre poema de von Schiller, que é cantado neste movimento da Nona Sinfonia, deparo com uma informação que me surpreendeu e que decerto fará as delícias do nosso Senador:

A União Europeia não foi a primeira a adoptar esta música como hino.

Foi a Rodésia.

Lembram-se da Rodésia? era o Zimbabué antes de 1980, ali mesmo ao lado de Moçambique. Só meti lá os pés uma vez, no aeroporto de Salisbúria (e que se chama hoje Harare) num muito memorável e conturbado vôo da TAP entre Lisboa e Lourenço Marques, ao fim da tarde do dia 8 de Setembro de 1974 (é um bocado difícil esquecer esta data). Uma hora e meia na sala VIP. Uma Joana Simeão com espessos óculos escuros embarcou nesse voo para uma Lourenço Marques a ferro e fogo por causa da reacção ao anúncio dos hoje chamados Acordos de Lusaka (eu conhecia-a porque ela foi professora no Liceu António Enes, que frequentei). Eu não sabia rigorosamente nada sobre o assunto para além do que havia lido na paragem desse vôo em Luanda. Tinha 14 anos e meio de idade e vinha de representar Moçambique nuns campeonatos desportivos em Portugal. Nem sonhava que a Frelimo ainda andava aos tiros.

Pelos vistos, nesse ano de 1974, onde ainda lá mandava o Sr. Ian Smith, decidiram arranjar um novo hino para eles e zás, sai IV movimento da Nona de Beethoven, com uma letra escrita por uma senhora chamada Mary Bloom, com o título Oiçam-se Ó Vozes da Rodésia, e que diz o seguinte, no original, em inglês:

Rise O voices of Rhodesia,
God may we thy bounty share,
Give us strength to face all danger,
And where challenge is, to dare.
Guide us, Lord, to wise decision,
Ever of thy grace aware.
Oh, let our hearts beat bravely always
For this land within thy care.
Rise O voices of Rhodesia,
Bringing her your proud acclaim,
Grandly echoing through the mountains
Rolling over far flung plain
Roaring in the mighty rivers
Joining in one grand refrain
Ascending to the sunlit heavens
Telling of her honoured name

Quem quiser ouvir ponha-se em sentido, bata continência e clique aqui.

Hino da União Europeia, põe-te na bicha.

3 comentários »

  1. sobre o assunto em tempos pus esta citação http://ma-schamba.com/europa/6161/

    Comentar por jpt — 28/06/2010 @ 11:46 am

  2. Upa. Já sabias. Não tinha lido essa anotação. Mas assim ficou mais documentado…

    Comentar por ABM — 28/06/2010 @ 7:30 pm

  3. Gostei. Os europeus da gema vão ter que fazer uma revisãozinha…

    Comentar por ERFERREIRA — 29/06/2010 @ 12:08 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: