THE DELAGOA BAY REVIEW

30/06/2010

BOLETIM DO MUNDIAL Nº 35: NO LADO ESCURO DA LUA

Filed under: Mundial de Futebol 2010, Politica Portuguesa — ABM @ 2:17 am

por George Ribéro, edição por ABM (29 de Junho de 2010)

Paraguai 0 – Japão 0 (5-3 nas grandes penalidades)

Um jogo que se previa emotivo mas sem grandes aspectos técnicos a salientar. Acabou por ser um jogo entre selecções medianas com uma toada morna em todo o encontro, talvez com um certo (pouco) ascendente do Japão na segunda parte. Às tantas já se sabia que a passagem aos quartos de final iria ser decidida nas grandes penalidades pois o prolongamento trouxe…nada de novo.

Aqui, foi mais feliz o Paraguai, que marcou todos os penalties, enquanto o japonês Komano falhou. É caso para dizer Kum Kamano! O benfiquista Óscar Cardozo, mais conhecido pelo Tacuara, marcou a última grande penalidade e assim o Paraguai segue em frente e qualifica-se pela primeira vez para os quartos de final de um Mundial. Já fez a sua história neste mundial e agora vai jogar com a Espanha. Presume-se uma vitória fácil para os espanholes.

Espanha 1 – Portugal 0

Acabei de ver o jogo.

Estou triste, chateado e não sei o que escrever. Vou escrever o que me vem à cabeça. Não é politicamente correcto mas é mais verdadeiro, os leitores mais políticos que me perdoem.

O resultado até nem foi humilhante. Afinal, jogámos contra o Campeão Europeu em título.

Fico a pensar é no tempo que passámos atrás da linha do meio campo, sempre à espera de um possível contra-ataque. Caramba, a Nova Zelândia, a Austrália, a Eslováquia e outras selecções, muito mais fracas que Portugal, atacaram mais, mexeram-se mais contra equipas superiores. Portugal, para variar, pôs-se a fazer contas e lá foi andando e andando, a ver como as coisas se iam passando. Um pouco da atitude do “logo se vê”, tipicamente português e já aqui referido. Ao invés, a Espanha assumiu o jogo, tentou ganhar – e ganhou – correu sempre mais e sabia como estender o seu futebol e criar perigo. Chama-se a isso querer, vontade e acima de tudo atitude competitiva. Aos sete minutos já tinham rematado à baliza de Eduardo por três vezes. Claro que fiquei preocupado. Portugal não é uma selecção qualquer. Depois, recuperámos um pouco e claro que também tivemos algumas oportunidades, era o que faltava.

Mas então que dizer dos espanhóis? Basta ver que Eduardo e Villa foram, quanto a mim, os melhores em campo. Um avançado espanhol e um guarda-redes português. Não quer dizer nada? Claro que quer e dá que pensar.

Grande exibição do Eduardo, a negar vários – sim, vários golos – à Espanha.

Não vou apontar o dedo à nossa selecção nem ao meu colega Carlos Queiroz, afinal sou um treinador de sofá e ele não. Mas aquela substituição do Hugo Almeida pelo Danny obviamente não deu os resultados que o treinador esperava, antes pelo contrário. Mostrou claramente a todos e especialmente aos jogadores lusos, que tínhamos que defender e jogar ainda mais em contra ataque. O tempo lá ia passando e para o fim da partida parecia que Portugal estava a jogar para segurar o … resultado. A poucos minutos do fim da partida, Ricardo Costa foi expulso (injustamente?) e então tudo ficou ainda mais difícil. A Espanha aproveitou para circular a bola enquanto que Portugal lá ia criando um ou outro lance, sem grande perigo.

Agora, a Espanha tem um jogo teoricamente mais fácil, com o Paraguai. Mas nas meias-finais quase de certeza que vai ter pela frente a Alemanha ou a Argentina. Para quem gosta de futebol e também para os que gostam de emoções fortes, no próximo fim de semana vamos ter dois bons jogos para os quartos de final, o Brasil – Holanda e o Alemanha – Argentina. Dos vencedores deste dois jogos mais a Espanha, sairá o … Campeão do Mundo 2010.

Neste momento, aposto numas meias-finais entre o Brasil – Uruguai e Argentina – Espanha. Claro que são apenas palpites. São jogos tão equilibrados que basta um lance de bola parada, um pequeno detalhe ou um erro para decidir o vencedor do jogo.

Enfim, jogos deliciosos vêm aí.

Quanto a Portugal, tudo bem, como diz o outro. Para o ano (daqui a dois anos disputa-se o Europeu) há mais. Venha o campeonato português o mais depressa possível, que esta vida está cada vez mais complicada e até calha bem aos nossos queridos governantes haver algo para nos ocupar antes e depois destas férias. Como vêm, começo a falar de política e acabo a falar de política, afinal o nosso verdadeiro grande … futebol nacional. E tem sido cada golpe de rins…

E agora, mesmo sendo verão, não há mais nada para falar mesmo, a não ser dos problemas. Que parecem ser mais que muitos.

Explosivo pode vir a ser para os eleitos da República.

3 comentários »

  1. Porque “são jogos tão equilibrados que basta um lance de bola parada, um pequeno detalhe ou um erro para decidir o vencedor do jogo”, o Gana devia entrar nas contas, não é verdade?

    Comentar por Amílcar Tavares — 30/06/2010 @ 12:42 pm

  2. O Gana tem uma excelente equipa, com muita juventude e um futuro (próximo) muito promissor. No próximo Mundial terá ganho mais experiência e então será um caso muito sério. Quem me dera vêr o Gana campeão Mundial de 2010. Se dependesse de mim, já o era. Imaginem estes jogadores ganeses em equipas como Chelsea, Man. United, Real Madrid ou Barcelona. Talvez (e esperemos) que este mundial tenha ajudado nesse sentido.

    Comentar por George Ribéro — 30/06/2010 @ 8:53 pm

    • 2014 serão campeões os alvarescabrais! sob comando do prof. Carlos Queiroz

      Comentar por jpt — 03/07/2010 @ 7:00 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: