THE DELAGOA BAY REVIEW

24/11/2010

MONUMENTAE MOZAMBICUS INSULAE

A lápide por cima da entrada da Fortaleza de São Sebastião, na Ilha de Moçambique.

por ABM (24 de Novembro de 2010)

O Sr. Paulo Pires Teixeira, que em tempos idos jogava hóquei no Clube Ferroviário de Nampula ( nas fotos, é o miúdo vestido de branco), outro dia mostrou um conjunto de fotografias da Ilha de Moçambique, de que as que estão em baixo são apenas uma amostra. Foram tiradas há cerca de um ano.

Eu nunca visitei a Ilha de Moçambique, mesmo tendo tido a oportunidade, porque o que me dizem daquilo é desencorajador: que está uma desgraça, gente a mais, fezes ao ar livre, tudo em ruínas. Na minha mente, guardo as imagens das deslumbrantes fotografias a preto e branco do Carlos Alberto pai, tiradas nos anos 60 e 70, quando aquilo estava um brinco. E espero por melhores dias. Que tardam a vir.

Mais ou menos. Se o exmo. Leitor observar os registos em baixo do Paulo Teixeira, espero que descubra nelas a beleza e a história que eu vi.

Se há um ponto físico onde se fez a história de Moçambique, e de Portugal, foi ali na Ilha de Moçambique. Foi o ponto absolutamente nevrálgico para tudo o que se fez a partir do início do século XVI, rivalizando apenas com Goa, que por sua vez não se aguentaria sem esta praça na retaguarda.

Paulo Teixeira tem como objectivo fazer um trabalho sobre a Ilha, o seu passado, as suas gentes. Um projecto monumental, que deverá chegar aos dez volumes. É um projecto a médio prazo. Para tal, ele já obteve muitos dados em vários pontos do mundo (é desconcertante constatar que se calhar onde se encontra menos é na própria Ilha).

Para tal, ele gostaria de obter mais dados – testemunhos, fotografias de família, registos escritos, de quem tenha, ou tenha tido, ligações com a Ilha de Moçambique, ou quem saiba onde haja informações dignas de serem vistas. Deixo aqui o desafio ao eventual Maschambiano que tenha dessas coisas na gaveta lá em casa. O Paulo agradeceria. O contacto de correio electrónico dele é pptfdv50@gmail.com.

E em troca, em baixo, coloco algumas das suas fotografias, as que mais me seduziram.

São um encanto.

Janela de uma casa da Ilha.

Uma coluna meio decrépita.

Isto cheira-me a base de estátua que foi banida.

Fachada de uma casa.

Outra fachada de uma casa.

Entrada de uma casa.

Isto não sei o que é mas com bandeira nacional deve ser qualquer coisa do governo.

O velho palácio do governador.

O altar da capela do Palácio de São Paulo.

Vitral da capela do Palácio de São Paulo.

Gradeamento junto do Palácio.

Pórtico à entrada da Igreja da Misericórdia.

Uma das ameias da Fortaleza de São Sebastião

Decoração indo-portuguesa num dos portões

Um dos portões do Palácio

O Cais Principal. Segundo o Paulo, está em reabilitação.

A sede do Sporting Clube Ilha de Moçambique. Ora eis um bom projecto de reabilitação para o nosso Senador. Tem vista para a praia e tudo.

3 comentários »

  1. Tenho várias entradas sobre a Ilha de Moçambique. Até algumas fotografias (das minhas pobres) coloquei,cobrindo até sítios aqui colocados. Como referi abaixo, em entrada dedicada a blogs colectivos, rindo-me das diferenças de olhares para o calendário sacro-ateu que a AL referira (o das boas causas) e o qual tanto me irrita, o que tem piada em blogs colectivos e sem agenda é a diferença dos olhares e das opiniões. Estou em final de ano lectivo, sem tempo para bloganços. Mas quem queira clicar na categoria ilha de moçambique espero que possa ver ou ler o que aqui deixei sobre o sítio, e de como penso bem diferente do que nesta entrada está.

    Comentar por jpt — 24/11/2010 @ 4:50 pm

  2. Foi com agrado que descobri este espaço e li o texto sobre a Ilha de Moçambique. Tal como o autor desse texto, conheci a Ilha em 1971/72 quando por lá estive a recuperar de ferimento recebido em combate nas matas do Niassa, e mais tarde, em 2004 quando fiz uma viagem de 15 dias por Moçambique. E na verdade quem conheceu aquele local outrora paradisiaco, encontrou mais tarde o que o autor descreveu: desleixo das autoridades, ruinas interessante a degradarem-se, as belas praias de outrora transformadas em latrinas….. sei lá que mais. No entanto há um factor que não muda. A hospitalidade e a simpatia daquele povo. Falei com varias pessoas que encontrei ns ruas e por todas fui bem recebido. E isso não mudou. Felizmente……

    Comentar por Samuel Peixoto — 29/11/2010 @ 6:08 pm

  3. achei interessante partilhar o video qui encontrei sobre a ilha de Moçambique no tempo dos portugueses quando inauguraram a ponte nova em 1967. uma autentica romaria como em qualquer região do norte de Portugal, com o padre a benzer a obra, o desfile da banda dos músicos, os escuteiros, os carros alegóricos até um carro com uma casinha dos locais com o teto em palha? as rainhas do desfile, o fogo de artifício, os sinais de trânsito novos, e um grande número de carros á espera para estrear a ponte nova:

    desejo as maiores felicidades ao povo de Moçambique e a salvaguarda das belezas desse país
    Angela

    Comentar por Angie — 01/09/2014 @ 5:46 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: