THE DELAGOA BAY REVIEW

12/12/2010

WIKILEAKS MOÇAMBIQUE 2/4 – EM PORTUGUÊS

Filed under: EUA — ABM @ 10:59 pm

por ABM (12 de Dezembro de 2010)

Em baixo, a tradução do texto integral , para língua portuguesa, da segunda de quatro mensagens secretas enviadas por Todd C.Chapman, até meados deste ano o Encarregado de Negócios da Embaixada norte-americana em Maputo, para várias entidades do governo norte-americano.

A primeira mensagem já se encontra traduzida e pode ser encontrada neste blogue.

Esta mensagem, como muitas outras, foi divulgada mundialmente esta semana pelo sítio Wikileaks. Partes do seu conteúdo foram “tratadas” pela imprensa de língua portuguesa, mas nenhuma, ninguém, disponibilizou o que realmente as mensagens continham, em português.

O exmo Leitor que lê em português pode ler em baixo, e saber em primeira mão, o que Todd Chapman escreveu aos seus superiores. Na íntegra.

O texto desta, a segunda mensagem do Encarregado de Negócios dos Estados Unidos, com data de 16 de Novembro de 2009. Há cerca de um ano:

VZCZCXRO8735
RR RUEHBZ RUEHDU RUEHMR RUEHRN
DE RUEHTO #1291/01 3200705
ZNY SSSSS ZZH
R 160705Z NOV 09
DE EMBAIXADA AMERICANA EM MAPUTO
PARA RUEHC/SECRETÁRIO DE ESTADO WASHINGTON DC 0991
INFO RUCNSAD/SOUTHERN AFRICAN DEVELOPMENT COMMUNITY
RUEHLO/EMBAIXADA AMERICANA EM LONDRES 0569
RUEABND/AGENCIA DE COMBATE AO TRÁFICO DE DROGAS HQS WASHINGTON DC
S E C R E T SECTION 01 OF 02 MAPUTO 001291
SIPDIS
E.O. 12958: DECL: 11/17/2019
TAGS: PGOV PREL KCOR SNAR MZ

ASSUNTO: PONTO DE TRÂNSITO PARA O TRÁFICO DE DROGAS IMPORTANTE NA ÁFRICA ORIENTAL

REF: STATE 105731

Classificado por: Encarregado de Negócios Todd C. Chapman pelas razões 1.4 (b e d)

1. (SBU) SUMÁRIO: O tráfico de drogas ilegais é um problema crescente em Moçambique, com drogas ilegais a entrar via rotas aéreas e marítimas a partir do Sul da Ásia e América do Sul. Fronteiras porosas, a falta de recursos por parte das autoridades e níveis elevadíssimos de corrupção, permitem que os traficantes de droga viajem livremente pelo país. FIM DO SUMÁRIO.
————–
Rotas Aéreas
————–

2. A rota principal para o tráfico de cocaína é aérea, para Maputo, a partir do Brasil, via Joanesburgo, Lisboa ou Luanda. À chegada os passageiros e a bagagem não passam pelos serviços da imigração e alfândega, o que lhes permite evitar os agora mais modernos sistemas de segurança dos aeroportos de partida. As drogas ilegais (principalmente a cocaína) são transportadas depois por terra para a África do Sul para consumo interno naquele país ou para posterior exportação para a Europa. Frequentemente, a cocaína é transportada por “mulas” [pessoas que as escondem dentro do corpo] e/ou escondidas em compartimentos secretos dentro da bagagem. Os traficantes de droga habitualmente subornam a polícia moçambicana e os agentes da imigração e da alfândega de forma a permitir que a droga entre no país. A diminuição observada no número de prisões de pessoas relacionadas com o tráfico no Aeroporto Internacional de Maputo não está relacionado com um maior esforço de detecção mas sim com um maior envolvimento da polícia e da alfândega no tráfico de droga. Um oficial sénior do aparato de segurança reconhece que a maioria das apreensões de droga não são comunicadas ao seu gabinete porque os traficantes e a polícia fazem combinações no momento, para permitir a passagem das drogas. A polícia e a alfândega detêm com frequência traficantes de droga e são subornados para libertar os traficantes e as drogas são confiscadas e revendidas. Domingos Tivane, o Director das Alfândegas, está directamente implicado em permitir a passagem das remessas de drogas. Tivane acumulou uma fortuna pessoal que excede um milhão de dólares americanos, incluindo numerosos investimentos em Moçambique.
——————-
Rotas Marítimas
——————-

3. (S) O transporte por via maritima é a rota privilegiada para o tranporte de das cargas de haxixe, mandrax e heroína, frequentemente em grandes quantidades. As drogas originam no Paquistão, Afeganistão e na Índia. Elas são então colocadas em navios com destino a Dar-Es-Salam, na Tanzânia, ou Mombassa, no Quénia.

Frequentemente, as drogas ilícitas são escondidas em contentores com produtos legítimos e são frequentemente descarregadas e enviadas por terra para Moçambique. Alternativamente, o naio descarrega a sua carga nos portos de Maputo, Beira e especialmente Nacala. As drogas são então contrabandeadas por terra para a África do Sul ou para outros destinos como os Estados Unidos e a Europa, por via aérea,
———————————————
As Duas Principais Redes de Tráfico de Droga
———————————————

4. (S) Há duas grandes redes de tráfico de drogas ilegais que operam em Moçambique. Ambas as redes têm ligações com a região Sudeste Asiática. Mohamed Bashir Suleiman (MBS) é o líder de uma rede de crime organizado e de lavagem de dinheiro bem financiada, em que ao centro está o conjunto de empresas Grupo MBS, que é detido e operado pela família. Suleiman utiliza o Grupo MBS e associados como Rassul Trading, que é gerida por Ghulam Rassul, e o Grupo Niza, detida pela família Ayoub, para contrabandear drogas a partir do Paquistão, através do Dubai, em contentores cuja carga é televisores, equipamento eléctrico óleo para cozinhar e automóveis. A família Suleiman tem contactos na África do Sul, Somália, Paquistão, América Latina e Portugal, e mantém uma complexa estrutura de negócios, com uma variedade de actividades comerciais que servem para encobrir um número de actividades ilegais. Suleiman tem uma relação pessoal de proximidade com o anterior presidente de Moçambique, Joaquim Chissano, e o actual Presidente, Armando Guebuza, e tem ligações com governantes de topo moçambicanos, incluindo o Director das Alfândegas, Tivane. Há indicações de que Grupo MBS e a família Suleiman mantêm ligações com o sindicato internacional de droga de Ibrahim Dawood.

5. (S) Ghulam Rassul Moti é um traficante de droga com origem étnica no Sul da Ásia baseado em Moçambique que tem contrabandeado haxixe e heroína na Província de Nampula, no Norte de Moçambique, desde pelo menos 1993. Ele já foi associado a vários conhecidos traficantes internacionais de droga e utiliza estes relacionamentos e a sua influência política para evitar inspecções por parte da polícia e a alfândega nos portos e fronteiras. Mota é dono da empresa Rassul Trading e do Grupo ARJ, que são grandes importadores de droga em Nacala e suspeitos de tráfico de pessoas, principalmente paquistaneses.

Post observa também um aumento na cooperação entre redes de tráfico de droga situadas na costa Ocidental e Oriental africanas, e as redes de tráfico de droga de Moçambique. Há rumores de que as principais organizações de tráfico de droga apoiam elementos islâmicos extremistas em Moçambique.
——————————————
Corrupção de Membros Séniores do Governo
——————————————

6. (S) Uma fronteira permeável, a falta de recursos para a imposição da lei bem como um nível elevado de corrupção ao nível mais alto dos governantes, conduz a uma situação em que os traficantes de droga são capazes de percorrer livremente o país. Oficiais moçambicanos de patente média tem medo de perseguir pessoas envolvidas com as principais redes de tráfico de drogas porque eles sabem que essas pessoas têm ligações com quadros séniores do governo. Membros séniores do partido no poder, a Frelimo, estão a tentar esconder o nível de corrupção da imprensa, do eleitorado e da comunidade doadora internacional. Como referiu recentemente em privado um quadro superior de uma agência policial, “alguns peixes são demasiado grandes para serem apanhados”.
CHAPMAN

3 comentários »

  1. Registei esta frase: “alguns peixes são demasiado grandes para serem apanhados”

    Comentar por Amílcar Tavares — 13/12/2010 @ 12:38 am

  2. Agradeço-lhe, ABM, esta tradução, dada a minha ignorância em língua inglesa. Fico, assim, a saber que a representação dos USA aponta Mohamed Bashir Suleiman como o líder de uma rede de crime organizado e de lavagem de dinheiro em Moçambique. Mohamed este que já nos havia sido ‘apresentado'(em Portugal), se a memória não me falha, como amigo do ex-ministro português Manuel Dias Loureiro, e investidor via Banco Português de Negócios. Como se diria noutros tempos, são malhas que o Império tece.

    Comentar por ERFERREIRA — 13/12/2010 @ 2:53 am

  3. […] evolutivo, dado o precedente da acusação de má companhia em que me achei uma vez em 1, 2, 3 e 4. Talvez o suporte de um blogue seja diferente do de um jornal. Será? Este blogue é meu. […]

    Pingback por SAMORA MACHEL REVISITADO: A PERSPECTIVA DE BARNABÉ LUCAS NCOMO « THE DELAGOA BAY BLOG — 29/02/2012 @ 10:04 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: