THE DELAGOA BAY REVIEW

23/06/2011

UMA NOTA SOBRE OS CABRAL DE MOÇAMBIQUE

José Cabral, Governador-Geral de Moçambique, 1926-1938 e Governador do Estado da Índia, 1938-1945.

Este texto é decalcado de um comentário que fiz hoje num outro blogue onde escrevo.

José Cabral não deu apenas o nome ao parque que aliás ele mandou criar com base num pedaço da então Concessão Sommershield, e que hoje tem o nome de Parque dos Continuadores. Nem tão só à rua lá em Nampula ou a Vila Cabral.

Nunca o estudei atentamente. Mas o tenente-coronel José Cabral foi Governador-Geral de Moçambique entre 1926 e 1938, tendo apanhado em cheio com os efeitos da Grande Depressão mundial na então colónia. O advento da Grande Depressão em Moçambique trouxe com ele enormes pressões nomeadamente no mercado de trabalho, que tiveram contornos raciais graves e com enormes repercussões então e para o futuro.

Cabral foi em seguida Governador da Índia entre 1938 e 1945 (no que sucedeu Francisco Craveiro Lopes, pai de Nuno, que desenhou a Igreja de Santo António da Polana e foi Presidente da República) tendo aí apanhado em cheio com a II Guerra Mundial e em que Goa e Mormungão eram dos poucos portos neutrais disponíveis.

Não lhe conheço uma biografia, o que é uma pena.

José Cabral fez muita coisa. Refiro apenas algumas.

Uma foi que mudou o então Museu Provincial da Vila Jóia, desenhado para residência do cônsul Pott (e onde actualmente está sediado o Supremo Tribunal da República de Moçambique) para o edifício onde se situa, que era para ser uma escola primária mas que foi convertido para um museu, que se chamou Álvaro de Castro, nome de um anterior Governador-Geral. Com a Independência, o museu alterou a designação para Museu de História Natural, e muito ficou a dever ao Augusto Cabral, um seu descendente, que o dirigiu entre 1979 até à sua morte em 2006.

Este Augusto Cabral supostamente foi o patrono crucial do artista Malangatana quando este primeiro abordou as artes.

José Cabral conhecia Moçambique relativamente bem, pois, quando era capitão, fora nomeado Governador de Inhambane logo após a República ter sido proclamada em Lisboa, em finais de 1910. Nessa altura, presidiu à conclusão da linha férrea entre Mutamba e Inhambane e à construção da ponte-cais daquela cidade.

Foi José Cabral que assinou o Diploma que criou em 1936 (Nº de 26 de Agosto de 1936, com o entusiástico apoio do Eng. Francisco dos Santos Pinto Teixeira) a Direcção de Exploração dos Transportes Aéreos, a DETA, uma divisão dos Caminhos de Ferro de Moçambique, que, muitos anos mais tarde, se tornou na actual LAM. Efectivamente, esta foi a primeira linha aérea portuguesa.

Com o Diploma Legislativo Nº 238 e a Portaria Nº 1044 de 18 de Janeiro de 1930, assinados por José Cabral, foi criado pela primeira vez o ensino normal escolar para a população indígena de Moçambique – enfim uma versão básica do ensino dado em Portugal, muito baseado na visão (racialmente tingida, como era normal na altura) e trabalho de Solipa Norte, que ajudou a criar a primeira escola particular em Moçambique em 1898 e que fora, desde 1919, Inspector da Instrução Primária de Moçambique.

Com o Diploma Legislativo Nº 36 de 12 de Novembro de 1927, José Cabral redefine de forma muito mais abrangente o conceito previamente mais restrito de “indígena”, que fora e viria a ser alvo de enorme controvérsia, especialmente pela população mestiça das cidades (ver um trabalho interessante de Zamparoni sobre o assunto), conceito esse que foi essencialmente espelhado no Acto Colonial de 1930 e integrado em 1935 no texto da constituição portuguesa. Pelo meio, tricas sem fim, com Raúl Honwana, João Albasini e Karell Pott pelo meio, que acusavam os Cabrais de tentarem dividir negros e mestiços na luta pela igualdade racial (sobre o primeiro Augusto Cabral, ver em baixo).

O Governador-Geral de Moçambique pouco depois da sua tomada de posse.

Pouco após a sua chegada a Lourenço Marques em 1926, o Governador-Geral viu-se envolvido numa célebre luta com os interesses do alemão Hornung e a sul-africana WNLA pelo controle do negócio agrícola, muito ligado aos esquemas de exploração da força de trabalho nativa de Moçambique. Em resultado desse conflito, que envolvia a criação de um enorme projecto agrícola no Umbelúzi, e que perdeu, Cabral chegou a oferecer a sua demissão, o que não aconteceu.

Com o Decreto 16.119, em 1929, aboliu o chibalo. Para se perceber melhor porquê e para quê, veja-se a tese de doutioramento de Zamparoni, 1998. Aquilo naquele tempo era inacredtivável.

Há outros membros da poligonal Família Cabral que merecem referência.

Augusto Cabral

Um é o de António Augusto Pereira Cabral, que foi Secretário Civil do Governo de Inhambane (nomeado antes de José Cabral ter sido nomeado Governador de Inhambane) e que era creio que irmão deste. Em 1910 António publicou uma codificação dos usos e costumes das populações de Inhambane. Em 1915 foi nomeado Director de Serviços dos Negócios Indígenas, lugar que ocupou durante cerca de vinte anos seguidos e que ainda ocupava quando José Cabral foi nomeado Governador-Geral por João Belo, então o último Ministro das Colónias da primeira república, que conhecia Moçambique como as palmas da mão, tendo lá vivido cerca de trinta anos (após a sua morte súbita em Janeiro de 1928, o porto de Xai-Xai teve o seu nome).

Outro é o de José Cabral, nascido em 1952, e que é considerado um dos fotógrafos de referência de Moçambique, juntamente com o Ricardo Rangel e o Kok Nam. O Zé vive em Maputo, onde pratica a sua arte. De quem é filho não sei.

Decididamente, este é um assunto que daria quase um estudo de família. De uma família com uma ligação clara a Moçambique e que parece reflectir tudo aquilo que nos aconteceu de glorioso e de infame no século XX. Tópico não para uma nota de rodapé como esta mas para algo mais substancial.

 

 

15 comentários »

  1. Tens uma das netas do ‘senhor do parque’ entre os meus amigos do ‘FB’. E é uma grande mulher, a miúda que se sentava ao lado nas carteiras do liceu.
    Abraço,
    IO

    Comentar por IO — 30/06/2011 @ 7:06 pm

  2. Caríssimo,

    O Coronel ( e não tenente-Coronel ) José Cabral é meu Avô, Pai da minha Mãe.

    O Augusto Cabral, Director do Museu de História Natural, é sobrinho e não descendente.

    Vou fazer uma recolha biográfica e logo mandarei por este meio.

    Melhores cumprimentos,

    José Luis Salema

    Comentar por José Luis Cabral da Gama Lobo Salema,nascido em Lourenço Marques no ano Santo de 1950,filho de Luis da Gama Lobo Salema, nascido em Lourenço Marques, em 1907. — 04/10/2012 @ 3:56 pm

  3. Na sequência do meu comentário anterior, junto envio um link do livro escrito pelo meu tio António Cabral, filho do Coronel José Cabral.
    Vai encontrar uma biografia muito completa do meu Avô e muitas outras coisa interessantes sobre o nosso Moçambique.
    Melhores cumprimentos,

    José Luis salema

    Comentar por José Luis Cabral da Gama Lobo Salema,nascido em Lourenço Marques no ano Santo de 1950,filho de Luis da Gama Lobo Salema, nascido em Lourenço Marques, em 1907. — 04/10/2012 @ 4:11 pm

    • Ol Sr Jos Salema, fico imensamente grato pelas suas correes (procederei aos ajustes indicados) e peo que inclua o tal link que no veio com a sua segunda mensagem. ABM

      Comentar por Antonio Botelho de Melo — 04/10/2012 @ 4:21 pm

  4. http://www.malhanga.com/flipbook/dicionario.nomes/#/10/zoomed

    Ups…esqueci-me do link, aqui vai.

    Comentar por José Luis Cabral da Gama Lobo Salema,nascido em Lourenço Marques no ano Santo de 1950,filho de Luis da Gama Lobo Salema, nascido em Lourenço Marques, em 1907. — 04/10/2012 @ 4:12 pm

  5. http://www.malhanga.com/flipbook/dicionario.nomes/#/10/zoomed

    Folheie o livro e vá a Vila Cabral.

    Lá terá tudo.

    Bom fim-de-semana.

    José Luis Salema

    Comentar por José Luis Cabral da Gama Lobo Salema,nascido em Lourenço Marques no ano Santo de 1950,filho de Luis da Gama Lobo Salema, nascido em Lourenço Marques, em 1907. — 04/10/2012 @ 5:06 pm

  6. Caro Botelho de Melo,

    Aqui lhe mando um resumo relativo à vida do meu Avô.

    O Coronel de Cavalaria José Ricardo Pereira Cabral, nasceu em Lamego a 10 de Julho de 1879.
    Foi aluno do Real Colégio Militar de 1889 a 1895 donde saiu Primeiro-Sargento Cadete.
    Fez o Curso da Arma de Cavalaria na Escola do Exército, para onde entrou aos vinte anos.
    Chegou a Moçambique em 1906.

    Condecorações:

    – Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada, com Palma
    – Comendador da Ordem Militar de Aviz.
    – Grã Cruz da Ordem Militar de Cristo.
    – Medalha Militar de ouro da classe de Comportamento Exemplar.
    – Medalha de ouro comemorativa das Campanhas do Exército Português, com a legenda 1914-1918.
    -Grã Cruz da Ordem do Império Colonial.

    Estrangeiras:
    – Comendador da Ordem de St Michael e St George, concedida pelo Rei Jorge V de Inglaterra. 1919
    – Grande Oficial da Ordem de l’Étoile d’Anjouan, concedida pelo Presidente da República Francesa. 1939.
    -Cavaleiro ( Knight Comander ) da Ordem do Império Britânico concedida pelo Rei Jorge VI de Inglaterra, 1940. Com direito ao uso do título de “Sir”

    Cargos relevantes:

    Governador do Distrito de Inhambane ( 1910-1913 )
    Governador do Distrito de Moçambique ( 1916-1918 ) ( 1919-1920 ) – Como Governador do Distrito de Moçambique comandou as Forças Portuguesas durante parte da Campanha da I Grande Guerra.
    Neste cargo residiu, com a Família, no Palácio de S.Paulo da Ilha de Moçambique, onde nasceram alguns dos seus Filhos.
    Governador-Geral de Moçambique ( 1926-1938 )
    Governador-Geral do Estado da Índia ( 1938-1945 )

    Melhores cumprimentos,

    José Luis Salema

    Comentar por José Luis Cabral da Gama Lobo Salema,nascido em Lourenço Marques no ano Santo de 1950,filho de Luis da Gama Lobo Salema, nascido em Lourenço Marques, em 1907. — 09/10/2012 @ 9:05 am

    • Jos Luis,

      Fico muito agradecido por esta nota, que vinda de um neto, sabe ao dobro…. o av Jos Cabral foi uma figura da histria de Portugal e de Moambique no Sculo XX, infelizmente muito mal estudado (inclusiv por mim) mas que a seu tempo ser valorizado em termos de quem foi e o que fez. ABM

      Comentar por Antonio Botelho de Melo — 09/10/2012 @ 10:50 am

      • Meu caro,

        Eu que lhe agradeo a pacincia de fazer esta pgina de to boa qualidade.

        Abrao,

        Jos Luis

        2012/10/9 THE DELAGOA BAY BLOG

        > ** > Antonio Botelho de Melo commented: “Jos Luis, Fico muito agradecido > por esta nota, que vinda de um neto, sabe ao dobro…. o av Jos Cabral > foi uma figura da histria de Portugal e de Moambique no Sculo XX, > infelizmente muito mal estudado (inclusiv por mim) mas que a seu tempo > ser v”

        Comentar por Joseluis Salema — 09/10/2012 @ 10:57 am

  7. Caro Botelho de Melo,

    Se quiser, posso mandar-lhe uma foto de corpo inteiro edevidamente fardado do meu Avô.

    Melhores cumprimentos,

    José Luis Salema

    Comentar por José Luis Cabral da Gama Lobo Salema,nascido em Lourenço Marques no ano Santo de 1950,filho de Luis da Gama Lobo Salema, nascido em Lourenço Marques, em 1907. — 04/03/2013 @ 12:33 pm

  8. Sou neta do Irmão do José Cabral, Antonio Augusto Pereira Cabral, e filha do Fernando Cabral,( irmão mais novo do Dr. Augusto Cabral) a quem se devem muitas das obras do Museu de Historia Natural, e posteriormente do Aquario Vasco da Gama, em Lisboa, depois do 25 de Abril, refiro-me ao meu Pai, que tanto quanto me lembro começou a trabalhar no Museu antes do meu tio Augusto. Foi com muita alegria que vi este blog, partilhado por um dos filhos do Dr. Augusto Cabral, meu Tio. Da parte materna também tenho um grande envolvimento através do meu Avô Alberto Cotta Mesquita. Mas, essencialmente o que tenho é muito orgulho na minha familia (paterna e materna) de grandes Homens que amaram profundamente Moçambique, a minha terra de que tenho uma saudade imensa.

    A si um imenso obrigado, em meu nome e em nome dos meus irmãos e nossos descendentes, e certamente de todos os meus primos, filhos do Augusto, da Vanda e da Vera

    Comentar por Rita Maria Cotta Mesquita Pereira Cabral — 29/07/2013 @ 7:54 pm

    • Obrigado Rita.
      Rita, irmã de Zé Pedro?
      ABM

      Comentar por ABM — 29/07/2013 @ 8:13 pm

  9. Caro Botelho de Melo,

    Primeiro agradecer-lhe por este artigo, excelente trabalho. Agora uma pequena pergunta: menciona uma estudo feito, seria possível ter acesso a este? Ficaria imensamente agradecido (nao imagina, adora historia, entao historia familiar ainda mais🙂 .

    Aguardo uma resposta sua.

    Cordiais cumprimentos,

    Rui Cabral

    Comentar por Rui Cabral — 29/07/2013 @ 8:54 pm

    • Rui, Obrigado pela nota, penso que aquilo a que se refere é um comentário dizendo que se devia fazer esse estudo…. ABM

      Comentar por ABM — 29/08/2013 @ 9:35 pm

      • Caro ABM, o que me levou a mencionar o estudo foi que a uns tempos atras eu e outros membros da minha/nossa família fomos contatados por um historiador genealogista que estava a fazer um estudo sobre as famílias portuguesas em Moçambique, e dentre estas a família Pereira Cabral. Na altura fiz uma pequena pesquisa por google acerca do assunto e lembro-me que ele tinha feito tambem estudos sobre famílias Portuguesas em Macau assim como em outra eis colonias (se a memória nao me falha). So que o tempo passou e nunca mais soube sobre o estudo, que assumo que já foi publicado. So que nao me lembro nem do nome do senhor nem consigo encontrar o estudo online. E quando li este maravilhoso artigo pensei que talvez houvesse uma relação. Cumprimentos e obrigado pela sua resposta. Rui

        Comentar por Rui Cabral — 06/09/2013 @ 12:09 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: