THE DELAGOA BAY REVIEW

04/01/2012

SABE TÃO BEM PAGAR TÃO POUCO

Uma imagem publicitária da conhecida cadeia de supermercados da Jerónimo Martins, actualizada.

 

O ano de 2012 começou com o anúncio de que, antes que batessem as zero horas de 1 de Janeiro de 2012, o braço financeiro da família que detém, entre outros investimentos, a cadeia de supermercados Pingo Doce (e acho que Feira Nova, mas não tenho a certeza), mudara a sua sede fiscal de Portugal para …a Holanda.

Parece que as duas razões principais para esta alteração de sede social são 1) pagar menos impostos, 2) ter um acesso mais privilegiado a fontes de financiamento num mercado que ainda funciona normalmente, enquanto que em Portugal, como se sabe, os bancos estão em dieta aguda.

Supostamente, o Grupo Jerónimo Martins, cuja maioria do capital é detido pela tal empresa que agora é de registo holandês, faz tenção de fazer uns investimentos internacionais e precisa da disponibilidade e eficácia desses mercados. Nada demais: nos anos 80 e 90, grandes empresas sul-africanos mudaram as suas sedes da África do Sul para o Reino Unido, com grande sucesso e por razões sólidas.

Claro que os políticos e os politiqueiros portugueses da praça mandaram-se ao ar e ainda andam às piruetas. Afinal, a Jerónimo Martins é uma das grandes empresas de Portugal e detida maioritariamente por portugueses. É um dos grandes empregadores do país. O seu líder é um dos poucos verdadeiros donos de capital portugueses que chama os nomes aos bois. Assisti a várias das suas entrevistas, em que expressava as suas preocupações face ao que se estava a passar, ainda nos tempos completamente loucos do segundo mandato de José Sócrates.

Numa altura como estas, esta deve ser a maior bofetada, dada logo no primeiro dia deste Ano do Fim do Mundo, de quem tem capital, em relação ao que os políticos fizeram e vão fazer ao país e a quem tem capital (nota: as nossas poupanças, quando existentes, são capital).

Esta medida pode ter algumas leituras. Mas nenhuma delas abona o que Portugal é ou do que se está e vai passar.

O maior risco que se corre é que, em 2012, desesperado para encontrar receitas que não vão aparecer, o governo vai ser tentado a taxar mais o capital do que já faz. E aí corre-se o risco de o capital nacional abandonar o país.

Por outro lado, provavelmente os Pingo Doces têm mais do que razão na decisão de mudar a sede fiscal para a Holanda – que de repente em Portugal passou a ter o místico estatuto de paraíso fiscal  – pois a fiscalidade portuguesa, se já era positivamente punitiva face ao nível de vida médio da população, mais o passou a ser a partir de 1 de Janeiro de 2012.

Que o seja para quem tem mais dinheiro, é no mínimo alarmante. Pois quem tem mais dinheiro tem total facilidade e até conveniência em mudar-se para outro país.

Pois o dinheiro deles é deles.

Ou não é?

Eu acho que é.

 

"É tão bom pagar tão pouco".

 

 

 

 

 

2 comentários »

  1. Detém também a cadeia de Hipermercados Feira-Nova.

    Comentar por Irene Grilo — 04/01/2012 @ 7:38 pm

    • Ah, vou mudar do “maybe” para o “definetely”…

      Comentar por Antonio Botelho de Melo — 04/01/2012 @ 7:42 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: