THE DELAGOA BAY REVIEW

16/10/2010

A ÁFRICA IMAGINADA – E A INVENTADA

por ABM (16 de Outubro de 2010)

Esta nota a propósito de uma conhecida música pop creio que dos anos 80, bastante popular quando eu vivia nos Estados Unidos, chamada I bless the rains down in Africa, tocada por alguém ou uma banda chamada Toto. Acho que foi um êxito mundial.

Eu não sei se o exmo Leitor conhece a música. Fica aqui uma versão não cantada, aptamente tocada pelo Senhor Andy Mcgee:

http://www.youtube.com/v/Z-XYjK1HQ-M?fs=1&hl=pt_PT

Linda, não é?

Pois.

O que eu não sei é se o exmo. Leitor sabe o que é que diz e o que significa a letra da música.

Essa tarefa deixarei nas capazes mãos de um senhor chamado Steve Almond, infelizmente em inglês, porque acho que o Steve não ainda não fala português, ainda menos a versão rebeldemente desortografiada falada aqui do Maschamba.

Mas alinho com o que diz, com apenas um comentário meu:

Como em Moçambique há alguns que se lembram dos saudosos tempos do idealismo revolucionário vivido após a Independência, quando as maiores barbaridades foram feitas com a mais entusiástica, deslumbrada estupidez e empenho ideológico, há também alguns aqui nas Europas, onde há muitos brancos e (ainda) alguns que viveram em África, que ficam exasperados com as suas menções das Áfricas Minhas, os saudosismos dos bons velhos tempos em África (aqui num contexto pejorativo, pois suspeitam logo insidiosamente de terem sido do branco colonial andar de cacete a dar na cabeça do negro), essa coisa toda.

Por inerência ao meu passado e estatuto, eu passo a vida a ouvir disso.

Confesso que não me aquece nem arrefece minimamente.

Eu acho que cada um de nós tem as memórias que tem e deve gozá-las. Às vezes é a única coisa que nos sobra, num mundo cada vez mais plastificado, globalizado, estilizado, desfigurado – socratizado?

Mas o que me exaspera mais é a África inventada, pura e simplesmente.

Como aquela balada meio doce-da-treta de nada menos que do “revolucionário” endeusado do rock americano, o Bob Dylan, ainda por cima composta em plena guerra colonial:

I like to spend some time in Mozambique
The sunny sky is aqua blue
And all the couples dancing cheek to cheek.
It’s very nice to stay a week or two.
There’s lots of pretty girls in Mozambique
And plenty time for good romance
And everybody likes to stop and speak
To give the special one you seek a chance
Or maybe say hello with just a glance.
Lying next to her by the ocean
Reaching out and touching her hand,
Whispering your secret emotion
Magic in a magical land.
And when it’s time for leaving Mozambique,
To say goodbye to sand and sea,
You turn around to take a final peek
And you see why it’s so unique to be
Among the lovely people living free
Upon the beach of sunny Mozambique.

Que eu saiba, o nosso Bob na altura nem sequer meteu os pés em Moçambique, e suspeito que os nossos Libertadores em Dar devem ter dado sete saltos de fúria quando ouviram a letras. Aquilo parece uma cançoneta de segunda categoria  feita para um anúncio turístico de Moçambique nos anos 60.

Aqui, cantada por um japonês que não percebi quem era mas que até não é mau de todo.

http://www.youtube.com/v/md4gbjjRX3o?fs=1&hl=pt_PT

Por minha parte, quando eu dizia a alguém dos Estados Unidos que era de Moçambique (tirando o Chester Crocker, que conheci uma vez, ninguém suspeitava onde ficava) vinham sempre com algum comentário estúpido sobre a canção do Bob Dylan, que na altura nem conhecia, nem ele nem a canção.

Mas, voltando à vaca fria, em I bless the rains down in Africa , cuja letra foi escrita por um tal David Page, atinge-se um novo nível de surrealismo.

É que não há pachorra para aturar este liricismo tipo porno-chachada sobre África. Não é que isto não seja a minha África. É que isto nem sequer existe. Não faz sentido nenhum.

Num curto discurso proferido em 16 de Julho de 2009, o Steve Almond, cujas afinidades africanas parecem ser poucas, mas que aparenta ter bom senso, explica porquê. Sublimemente, ainda que um pouco virado para uma audiência norte-americana, para quem esta canção recorda os tempos de engate namoradeiro dos meninos e meninas de liceu.

http://www.youtube.com/v/4b2aGe8_Ag0?fs=1&hl=pt_PT

Anúncios

Site no WordPress.com.