THE DELAGOA BAY REVIEW

06/03/2012

LOURENÇO MARQUES, HÁ 135 ANOS, NUMA TERÇA-FEIRA, DIA SETE DE MARÇO

Mapa de Lourenço Marques em 1903, com algumas alterações até 1906, mandado fazer pela Comissão de Melhoramentos do Porto de Lourenço Marques (equipa chefiada pelo Capitão-Tenente Hidrógrafo Hugo de Lacerda). Nesta altura a cidade já reflectia duas das grandes obras da equipa de Joaquim José Machado: a Poente, a linha de caminho de ferro para a África do Sul e o desenho topográfico do que hoje é a parte central de Maputo. Até à Independência, a Praça 25 de Junho tinha o nome de Praça 7 de Março (de 1877), o dia em que Joaquim José Machado e a sua equipa chegaram à então espelunca imunda que era a vila de Lourenço Marques.

Faz hoje 135 anos que eles chegaram. Era uma terça-feira.

A minha cara Cristina Pereira de Lima, filha do grande Alfredo Pereira de Lima, biógrafo do que é hoje a capital de Moçambique, gentilmente enviou o texto em baixo, que reproduzo mais ou menos como recebi, adicionando eu apenas dois parágrafos e as imagens em cima em baixo:

Foi há 135 anos, no dia 7 de Março de 1877, que chegou a Lourenço Marques a expedição de Obras Públicas…

O dia 7 de Março foi um dia histórico para a cidade de Lourenço Marques, porque foi nesse dia que desembarcou a expedição de engenheiros enviada por El-Rei Dom Luis I, e pelo ministro Andrade Corvo, para desenvolver a vila.

Num dos seus depoimentos, afirmou Eduardo de Noronha:

“ É desde o desembarque da Expedição que datam os melhoramentos materiais da Cidade, assim como é indiscutível que esta plêiade brilhante de rapazes inteligentes, saídos da escola, entusiásticos e vigorosos, deram um impulso moral enorme ao presídio, onde o nível intelectual não acusava grandes elevações.”

No seu livro “Casas que fizeram Lourenço Marques” Alfredo Pereira de Lima descreve a chegada da expedição:

…”Foi à expedição de Obras Públicas enviada pelo Ministro Andrade Corvo e que aqui chegou em 7 de Março de 1877, chefiada pelo major de engenheiros, Joaquim José Machado, e a seu trabalho insano, realizado em íntima colaboração com a Câmara Municipal, que Lourenço Marques ficou devendo grande parte do seu progresso.

Essa expedição trouxe até nós técnicos e operários competentes e dedicadíssimos. Foram todos eles homens que se apaixonaram, desde a primeira hora, pela bela obra que seria arrancar Lourenço Marques da sua letargia e pô-la definitivamente no caminho do progresso.

Além do engenheiro director, major Joaquim José Machado, vieram mais três engenheiros, chefes de secção (capitães de engenheiros Afonso de Morais Sarmento, João António Ferreira Maia e o tenente de artilharia, Alfredo Augusto Barros Viana); sete condutores de 1ª classe (tenentes Caldas Xavier, João Carlos Ribeiro, João Maria Pereira, Augusto César Simões, José Eduardo Lopes e os civis Jeremias Willhouse e Francisco Correia Leotte); três condutores de 2ª classe (tenente Joaquim José Lapa, António Sebastião do Nascimento Costa e o civil D. João José de Melo) ; seis condutores auxiliares (alferes António Nunes Bouças, Francisco Augusto Ferreira, João Brito Vaz Coelho, Adolfo Ascanio de Morais Palha, José Alfredo da Cunha Barros, Eduardo Alcântara Ferreira) e ainda desenhadores, apontadores e pessoal operário. Dos operários vindos para armar dezanove barracões de madeira e zinco que a expedição trazia consigo para suprimento da falta de habitações e se ergueram na actual Rua Serpa Pinto e hoje já não existem, Augusto Baptista de Carvalho foi, dos que mais se distinguiu. Depois dedicou-se á construção civil por sua conta e conquistou lugar de prestigio na sociedade da época………

….foram esses homens , técnicos e operários – arrojados e inteligentes – que a Metrópole nos enviou e aqui fizeram escola, que deram um impulso enorme ao desenvolvimento da vila pobre que então era Lourenço Marques. Eles souberam compensar bem os sacrifícios enormes que o Governo Central suportou ao enviar para aqui e manter sem vacilações essa dispendiosa Expedição de Obras Publicas à força de subsídios enviados da Metrópole.

Esses construtores da nova fase da vida de Lourenço Marques que sob a direcção inteligente do major Joaquim José Machado, aqui deixaram uma obra extraordinária em todos os campos, não só na construção civil mas ainda em outras actividades intelectuais e sociais, merecem o nosso mais profundo respeito……”

A esta famosa expedição se deve ainda a trabalhosa drenagem do pântano que asfixiava a vila pobre que naquele tempo era Lourenço Marques.

Para além disso, o seu chefe, Joaquim José Machado, fez o traçado da linha de caminho de ferro que a partir de 1895 ligou Lourenço Marques a Pretória e, adicionalmente, quando o governo português confiscou no final de Junho de 1889 a empreitada inacabada da linha ao consórcio do norte-americano Eduardo Macmurdo, foi Machado quem a reparou e completou.

A estação de caminho de ferro de Lourenço Marques e o Monumento da I Guerra Mundial, aqui nos anos 1930, postal da Newman Art Publishing Company, Cape Town. Quando a linha desenhada e completada por Joaquim José Machado começou a operar em 1895, a “estação” era um barracão desolado situado mais atrás do actual edifício, que foi inaugurado em Março de 1910.

16/08/2011

ALGUMAS OBRAS DE ALFREDO PEREIRA DE LIMA SOBRE MOÇAMBIQUE

Filed under: Alfredo Pereira de Lima, História Moçambique — ABM @ 11:24 pm

Imagens gentilmente enviadas por Cristina Pereira de Lima Macedo e sua irmã Maria Antónia e restauradas por mim.

O Eng. Mertens, então Presidente da Câmara Municipal de Lourenço Marques, condecora Alfredo Pereira de Lima com a Medalha de Ouro da Cidade, pelo seu trabalho de que o que se vê em baixo é apenas uma parte.

 

"A Controvérsia sobre Colombo", 1966.

"A História de Louis Trichardt", 1964. O "Voortrekker" boer está sepultado em plena baixa de Maputo e Pereira de Lima, com um colega da África do Sul, descobriram o local da sepultura, que é um dos monumentos da cidade.

 

"Cartograma da Penetração Goesa em Moçambique, Séculos XVI a XIX".

 

"Casas Que Fizeram Lourenço Marques", 1968.

"Edifícios Históricos de Lourenço Marques".

"Na Pista do Tesouro de Kruger", 1963.

 

"Os Milhões de Kruger", 1963.

"Para a História das Comunicações em Lourenço Marques".

"Pedras Que Já Não Falam".

"Terras da Moamba", 1973.

 

 

15/08/2011

A IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO EM LOURENÇO MARQUES, POR ALFREDO PEREIRA DE LIMA

Grato por este contributo de Cristina Pereira de Lima Macedo, retirado do livro de autoria do seu pai, Alfredo Pereira de Lima.

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a primeira de pedra e cal do então Distrito de Lourenço Marques. Em Maputo, ficava implantada exactamente onde hoje está o edifício da Rádio Moçambique. Para ver esta foto no seu esplendor, prima na imagem com o rato do seu computador.

No dia 15 de Agosto de 1889, pela primeira vez foi solenemente exposto o Santíssimo Sacramento em Lourenço Marques, na antiga Igreja de Nossa Senhora da Conceição…

…..”Quem nos acompanhe pode seguir pelos Boletins Oficiais da época o desenrolar das obras e das várias fases da sua construção até o cusiosissimo relatório datado de 15 de Fevereiro de 1882 do governador Chaves de Aguiar em que este afirma:

…está em construção uma igreja num estilo realmente elegantissimo,mas o pior é que, tendo-se esgotado o orçamento primitivo que era de 10.000$000 réis, na parte que foi autorizada, e estando o segundo de 8.600$000 réis já nos últimos reais, se não lhe acudirem breve com um terceiro, que para completo acabamento da parte da construção não poderá ser muito inferior áquelas duas verbas, porque as paredes estão todas em osso e não está ainda feito nem um palmo da cobertura no corpo da igreja, as próximas chuvas obrigarão depois a gastar muito mais.”

Em auxilio das obras que faltavam, veio o governo e parece que uma subscrição publica e o templo assim se concluiu a tempo, se bem que com muita modestia interior, sendo inaugurado em Julho de 1883 com os ritos prescritos.

Ao principio contentou-se – segundo nos revela Monsenhor João dos Santos, na sua preciosa monografia sobre a igreja – sem outras imagens “além de uma de Nossa Senhora da Conceição duns 0,15metros de altura, bastante mutilada, e um pequeno Santo Cristo, de marfim em cruz de prata…”.

Só em 1886 ou princípios de 1887 é que chegaram de Lisboa, remetidas pelo Ministério da Marinha e do Ultramar outras imagens de santos. Também veio pouco depois uma nova imagem de Nossa Senhora da Conceição, adquirida por subscrição publica por intermédio da firma “ Fabre & Fills” em Marselha.

Essa imagem foi solenemente exposta á veneração em 8 de Dezembro de 1888.

A pobreza da igreja não agradou muito ao bispo D. António Barroso, ao tempo Prelado de Moçambique, que, em relatório de 1894, diz que o templo… “exteriormente tem aspecto artistico, que é uma imitação do estilo gótico, com a suas agulhas elegantes” mas que “internamente é um barracão que se assemelha a uma sinagoga ou templo maçónico; está tão afastado da linha geral que preside à construção de uma igreja de culto católico que nem púlpito lhe fizeram”.

Mas, isso também se remediou. Demoliu-se a velha sacristia e construiu-se uma nova. Instalou-se em mármore de lioz os altares de Nossa Senhora e de Santo António, além do púlpito.

Fizeram-se em colunas de mármore também as molduras dos nichos. Arranjou-se uma grade de ferro que passou a separar o altar mor do corpo da igreja. Na torre colocou-se um relógio. A Fazenda contribuiu de 1888 a 1898 com diverso mobiliário, incluindo cadeiras de espaldar, as Obras Públicas com secretária e armários. O Padre Vicente – esclarece ainda Monsenhor Santos – fez adquirir pela Paróquia, em 1902, um gavetão e um lavatório em porcelana e ainda um candelabro romano da Semana Santa.

Vimos que, mesmo sem obedecer a preceitos rígidos de estilística quer gótica quer manuelina, a igrejinha ficou equilibrada na sua tranquila e elegante simplicidade, a destacar-se muito branca no alto verdejante da Maxaquene, cumprindo a sua função mística de Casa de Deus, a primeira construída com carácter permanente em Lourenço Marques e por isso como que um elemento do próprio brazão da cidade. No interior pouco iluminado da sua pequena nave, aquelas paredes ouviram preces e os anseios dos que á Virgem foram pedir pela segurança dos que se batiam nas duras campanhas de 1895. Essa igreja tão representativa de Lourenço Marques, ficou ainda caracterizada pelas solenidades que aí se realizaram em datas litúrgicas e momentos grandes da nossa história.

Ali se celebrou solene “Te Deum” em grande instrumental de Acção de Graças pela visita de Sua Alteza o Príncipe Real D. Luís Filipe de Bragança, em 29 de Julho de 1907, presidido pelo Bispo de Siene, Prelado de Moçambique.

Depois dessa hora alta de haver acolhido aquele esperançoso príncipe que viria a ser o futuro Rei de Portugal, se a morte traiçoeiramente pelas mãos dum miserável assassino o não tem ceifado no Terreiro do Paço sete meses depois, a pequena igreja foi ainda guindada à dignidade de Sé Catedral dos Prelados de Moçambique e gozou durante três anos as de Sé Arquiepiscopal.

Foi esse – no dizer de Monsenhor Santos seu cronista – o primeiro templo de que há memória neste distrito. Foi o primeiro de pedra e cal sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Lourenço Marques. Foi o primeiro em que se celebrou com toda a pompa em Dezembro de 1888 a festa da Imaculada Conceição. Foi o primeiro em que expôs o Santíssimo Sacramento nestas paragens em 15 de Agosto de 1889. Foi ainda o primeiro onde se fundou em 15 de Agosto de 1891 a Associação do Sagrado Coração de Jesus. Apegaram-se a ele muitas gerações lourenço-marquinas que ali receberam o baptismo, ali casaram, e muitos ali esperaram em câmara ardente entre círios e lágrimas, a caminho da última morada.

Contudo a 15 de Agosto de 1944, caíram sobre aquela Igreja as primeiras marteladas para sua destruição. Em pouco tempo daquelas paredes se fez pó…que o vento dispersou.

Assim acabou inutilmente demolido o edifício religioso mais consagrado da cidade no amor de muitos milhares de corações, que o viram desaparecer com muita tristeza.

Se continuasse de pé suas pedras diriam ás gerações que passam: “Aqui estiveram teus avós!… “

(in “Pedras Que Já Não Falam” por Alfredo Pereira de Lima)

ALFREDO PEREIRA DE LIMA E A HISTÓRIA DE MOÇAMBIQUE: UMA EVOCAÇÃO

Filed under: Alfredo Pereira de Lima, História Moçambique — ABM @ 2:22 am

Eternamente grato a Maria Cristina Fragoso Pereira de Lima Macedo, filha de Alfredo Pereira de Lima, cuja obra permanece actual e de interesse e que gentilmente enviou quase tudo o que se segue.

Para ler melhor os artigos escritos, por favor prima na imagem com rato e depois outra vez.

Alfredo Pereira de Lima, que historiou a actual cidade de Maputo como nenhum, entre outros tópicos de interesse histórico para Moçambique, aqui numa recepção no Hotel Polana.

 

Alfredo Pereira de Lima nasceu em Lourenço Marques a 19 de Fevereiro de 1917. Era filho de António Lúcio Pereira de Lima, um dos primeiros colonos a chegar a Lourenço Marques em 1910, que exercia o cargo de Secretário da Administração no posto do Chonguene; e de Maria da Conceição Pereira de Lima, a primeira mulher europeia a viver no Chonguene.

Em 1918, e decorrente do surto de peste bubónica (gripe espanhola) que percorreu o mundo e que na altura alastrava na área, seu pai recebeu ordens de Lourenço Marques para abandonar o local com a sua família e regressar à capital. Porém, e pelo facto de possuir conhecimentos alargados em medicina (filho de um médico), preferiu não acatar as ordens recebidas tendo optado por ficar a tratar da população local, que estava a ser vitimada pela peste. Ironicamente, António Lúcio Pereira de Lima padeceu em 29 de Janeiro de 1919,com apenas 29 anos de idade, vitima da própria peste. Com menos de dois anos de idade, Alfredo Pereira de Lima e a sua mãe foram levados pela população para uma aldeia do interior, pois a sua mãe fora também gravemente infectada pela doença, para lá serem tratados segundo os costumes locais à base de plantas medicinais e devido a este factos nem ele nem sua mãe, que sobreviveram à peste, assistiram ao funeral de seu pai.

Desde pequeno Alfredo Pereira de Lima sonhava em ser médico, como seu avô, mas tal não se veio a concretizar pela falta de meios financeiros necessários para enveredar pela referida doutrina. Assim terminou o liceu em 1935 na área de Ciências, contudo foi na área da história de Moçambique, e de África, que encontrou a sua verdadeira paixão e à qual dedicou a sua vida. Desde muito novo, e sempre com um bloco de apontamentos na mão, levantou a história da cidade através de entrevistas com os primeiros habitantes da cidade sem esquecer a população tribal, que descreviam “in loco” a história da cidade e relatavam os acontecimentos da sua fundação, bem como todos os locais onde os mesmos ocorreram. Como historiador meticuloso, documentou o passado e presente da cidade através da recolha de recortes de jornais, fotografias, documentos e recolhendo pedras dos locais mais importantes. A recolha desta preciosa informação permitiu reconstituir a história da cidade no seu arquivo-museu sobre a cidade de Lourenço Marques, o maior que existia no seu tempo, segundo relatos da imprensa da época. Desempenhou várias funções na Câmara Municipal de Lourenço Marques, no entanto, paralelamente prosseguiu sempre com a sua carreira de historiador e de jornalista, que iniciou em 1936, tendo colaborado com a imprensa nacional e sul-africana. Como escritor editou o seu primeiro livro em 1961, denominado “Os Milhões de Krueger”.

Casou em Lourenço Marques na Sé Catedral a 8 de Dezembro de 1945 com Maria do Carmo Leite de Arriaga Brum da Silveira da Costa Campos Fragoso, também nascida em Lourenço Marques. Tiveram três filhos – Maria Antónia, Maria Cristina e Fernando José Fragoso Pereira de Lima – e três netos (Nuno Alexandre Pereira de Lima da Fonseca e Filipa Alexandra Pereira de Lima Macedo) que nasceram em Lourenço Marques e ainda André Miguel Pereira de Lima Macedo, que nasceu em Pretória, Africa do Sul.

Faleceu precocemente em Pretória, em 15 de Janeiro de 1976, com apenas 58 anos de idade, tendo a seguinte noticia sido publicada na imprensa local sobre o seu funeral:

…” numa colina de Pretória virado a nascente, no talhão P, coval 1394, ficou sepultado a 19 de Janeiro de 1976 o português Alfredo Pereira de Lima. Acompanhado à campa rasa por familiares e amigos, ficou ali virado a Moçambique que tanto amou em vida, um dos seus dilectos filhos. Sofreu menos na doença que o vitimou do que em Setembro de 1974 quando teve de se refugiar com a família neste país que tanto o admirava. No elogio fúnebre falaram a Princesa Sofia Manziref, o Brigadeiro Barnard, o Professor Sabino e o Comandante Philip Smith.”

Segue-se um conjunto de recortes e fotos sobre Alfredo Pereira de Lima.

Parte 1 de 2 de um esboço biográfico de Alfredo Pereira de Lima.

Parte 2 de 2 do esboço biográfico de Alfredo Pereira de Lima.

No baptizado de Alfredo em Lourenço Marques, 1917, com os pais e a madrinha no dia do baptizado em Lourenço Marques (da lado esquerdo a mãe Maria da Conceição e à direita a madrinha Maria da Graça Moreira Pinto) decorria a I Guerra Mundial e os aliados combatiam os alemães no Norte de Moçambique.

Os Pereira de Lima em Lourenço Marques, baptizado da primeira filha Maria Antónia em 1946, Cristina comentou " meu pai, minha mãe e minha avó mãe do meu pai que viveu sempre connosco e aos 87 anos sobreviveu á morte do seu único filho. O meu avô (António Lúcio Pereira de Lima) faleceu antes do meu pai fazer 2 anos. "

Pereira de Lima em 1957, então com 40 anos de idade. Refere Cristina: " esta foto foi tirada na Rodésia durante uma visita oficial do Presidente da Câmara Municipal de Lourenço Marques, Coronel Pedro Pinto Cardoso, de quem meu pai era Secretário."

Em 1965 Alfredo Pereira de Lima foi convidado pela Alemanha e pela Áustria para uma visita oficial. Aqui junto ao muro erguido pela RDA três anos antes. Diz Cristina " o meu pai fez importantes pesquisas históricas sobre a ocupação austriaca em Lourenço Marques durante esta viagem e em Berlim acompanhado por um estudante universitário que lhe serviu de guia, atravessou o muro clandestinamente para visitar a parte Oriental."

Em 1970, à entrada de uma exposição organizada por Alfredo Pereira de Lima.

Alfredo Pereira de Lima mostrando a exposição que organizou sobre os Caminhos de Ferro de Moçambique ao então Governador-Geral de Moçambique, Pimentel dos Santos. "Foi a 1ª exposição bibliográfica dos CFM inteiramente organizada por Pereira de Lima na ocasião da comemoração dos 75 anos dos Caminhos de Ferro de Moçambique. Nesta foto vê-se Pereira de Lima com o Governador-Geral Pimentel dos Santos a explicar as peças da exposição. A sua monumental obra sobre os CFM também saiu na altura."

Aqui com Arantes e Oliveira, que foi também Governador-Geral de Moçambique. À direita podem-se ver o Secretário Provincial José Eduardo Vilar Queiroz e (a olhar para a direita) o Eng. Fernando Seixas (om óculos também) que na altura era o Director-Geral dos CFM.

Alfredo Pereira de Lima no seu Gabinete de História dos Caminhos de Ferro de Moçambique, 1970. "nos últimos anos em Lourenço Marques o meu pai tinha um gabinete de história na Praça Mac Mahon, onde tinha um arquivo histórico e onde escreveu a História dos Caminhos de Ferro de Moçambique (3 volumes) - pelo qual recebeu um prémio literário."

Artigo sobre a sua monumental obra relatando a história dos caminhos de ferro em Moçambique.

Capa do primeiro volume da obra de Pereira de Lima sobre os caminhos de ferro em Moçambique.

Artigo de Rodrigues Júnior sobre "As Pedras Que Já Não Falam".

Mais um artigo de imprensa sobre "As Pedras Que Já Não Falam".

Artigo de imprensa sobre Pereira de Lima.

Artigo de Imprensa aquando da atribuição da Medalha de Ouro de Lourenço Marques a Pereira de Lima em 1972.

A segunda parte do artigo de 1972.

Cerimónia de entrega da Medalha de Ouro da Cidade a Pereira de Lima, 1972. "Eng Mertens - Presidente da Câmara numa sessão solene em 1972 a impôr a medalha de ouro da cidade. Ele no discurso diz " a historia da cidade está feita especialmetne através das crónicas, artigos e publicações várias de um homem, que por isso mesmo vai receber a medalha de ouro do municipio - Alfredo Pereira de Lima."

O Comendador D. Antonio de Vasconcelos a colocar a condecoração do grau de Cavaleiro Oficial da Soberana Ordem dos Cavaleiros de Colombo, numa cerimónia na Sociedade de Estudos de Moçambique. Alfredo Pereira de Lima foi mais tarde distinguido com o grau de Comendador da mesma Ordem.

O Dr Braga Paixão Presidente da Academia de Ciencias de Lisboa no momento em que entregava a Alfredo Pereira de Lima o galardão do prémio literário Abilio Lopes Rego de 1973 , pelo seu trabalho em 3 volumes "A História dos Caminhos de Ferro de Moçambique (Pereira de Lima veio a Lisboa em Dezembro de 1974 receber este prémio, nessa altura já estava com a família na África do Sul. Esta é das últimas fotografias de Pereira de Lima. Exactamente um ano depois, em Dezembro de 1975, adoeceu e em menos de um mês faleceu. Nesta fotografia vê-se Pereira de Lima em primeiro plano, o Dr Braga Paixão de frente (de óculos), por trás de cabelos brancos o Coronel Pedro Joaquim da Cunha Meneses Pinto Cardoso que foi Presidente da Câmara Municipal de Lourenço Marques entre 1955 e 1964 e o Comandante Adriano Matos Correia).

Artigo de Imprensa aquando da morte de Pereira de Lima em Pretória, em Janeiro de 1976. Este da autoria de Maria Helena Bramão, que na altura editava o Lusitana na cidade de Durban.

Recorte de Imprensa do Século de Joanesburgo aquando do falecimento de Pereira de Lima.

Mais um recorte, este do Pretoria News de 19 de Janeiro de 1976.

Em Junho de 1976, membros da comunidade de língua portuguesa da zona de Pretória homenagearam Pereira de Lima.

Romagem de Saudade ao Cemitério Municipal de Zandfontein, em Pretória, á campa de Alfredo Pereira de Lima, no dia 10 de Junho de 1976, onde foi colocada uma coroa de flores e o Professor Sabino proferiu uma alocução. Vê-se na imagem o Professor Sabino de frente em 1º plano e do lado direito o Comendador António Braz.

Em baixo, uma listagem com a maior parte das obras publicadas por Pereira de Lima e que constam no arquivo "Memórias de África".

OBRAS PUBLICADAS DE ALFREDO PEREIRA DE LIMA E DISPONÍVEIS EM BIBLIOTECAS PÚBLICAS PORTUGUESAS

[16644]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casas que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Stvdia / Centro de Estudos Históricos Ultramarinos. – Nº24 (Agosto 1968), p. 7-71.
Descritores: Moçambique | História | Habitação | Edifício | Indústria da construção civil | Matéria-prima
Cota: s/cota|UCDA|Diamang

[23349]
LIMA, Alfredo Pereira de
A história de Louis Trichardt / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques, 1964. – 137 p.
Descritores: Biografia | Economia | Moçambique
Cota: 67788|Soc. Geog. Lx.

[23531]
LIMA, Alfredo Pereira de
O palácio municipal de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Câmara Municipal de Lourenço Marques, 1967. – 115 p.
Descritores: Edifício | Administração local | Moçambique
Cota: 34666|Soc. Geog. Lx.

[25804]
LIMA, Alfredo Pereira de
Na pista do tesouro de Kruger : factos, angústias e desilusões / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques, 1963. – 126 p.
Descritores: Literatura | História | Moçambique
Cota: 23876|Soc. Geog. Lx.

[35228]
LIMA, Alfredo Pereira de
Vestígios do trato do comércio dos fumos no Alto Maé? / A. Pereira de Lima
In: Monumenta. – nº 1 (1965), p. 65-66: il.
Descritores: Moçambique | História | Arqueologia | Manifestação comercial | Colonialismo | Relações comerciais | Navegação marítima
Cota: 61-F-3|Soc. Geog. Lx.

[36886]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casas que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Studia. – nº 24 (Agosto 1968), p. 7-72
Descritores: Moçambique | Civilização | História | Colonialismo
Cota: 57-D-1|Soc. Geog. Lx.

[41305]
LIMA, Alfredo Pereira de
História dos caminhos de ferro de Moçambique / Alfredo Pereira de Lima. – Lisboa : Administração dos portos, caminhos de ferro e transportes de Moçambique, 1971. – 3 vol.
In: História geral de Cabo Verde: I / (coord.) Luís de Albuquerque e Maria Emilia Madeira Santos .- ISBN-, nº 972-672-537-2, p.
Descritores: Moçambique | Transporte ferroviário
Cota: 33-E-35|Soc. Geog. Lx.

[41511]
LIMA, Alfredo Pereira de
O palácio municipal de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : (s.n.), 1967. – 115 p.
Descritores: Moçambique | Monumento | Património Cultural
Cota: 163-F-1|Soc. Geog. Lx.

[55430]
LIMA, Alfredo Pereira de
História dos caminhos de ferro de Moçambique / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Administração dos Portos, Caminhos de Ferro e Transportes de Moçambique, 1971. – 3 vol. (1302, 306, 340 p. ) : il.
Descritores: Moçambique | Transporte ferroviário | História | Economia
Cota: 12630-A-B|ISCSP

[55640]
LIMA, Alfredo Pereira de
Para a história das comunicações em Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Edição do Autor, 1974. – 272 p.
Descritores: Moçambique | Economia | História | Meios de comunicação
Cota: 16313|ISCSP

[59159]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casas que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lisboa : (S.l.), 1968. – 73 p.
Descritores: Moçambique | História | Urbanismo
Cota: 9839|ISCSP

[76883]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casa que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Studia: 0870-0028. – vol.24 (Ag. 1968), p. 7-71
Descritores: Moçambique | Zona urbana | Obras de engenharia civil | Edifício | História
Cota: 1083|IICT

[87227]
LIMA, Alfredo Pereira de
Os fundamentos da transferência do capital para Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim Municipal: Organização das Secções Cultural e de Propaganda, nº 1 [Nov. 1967], p. 19 a 28 (il.)
Descritores: Moçambique | Região económica | História
Cota: 3172|IICT

[87262]
LIMA, Alfredo Pereira de
O general Joaquim José Machado : homem de acção / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim Municipal: Organização das Secções Cultural e de Propaganda, nº 6 [Jul. 1970], p. 11 a 13 (il.)
Descritores: Moçambique | Região económica | Administração local | Comemoração
Cota: 3172|IICT

[87267]
LIMA, Alfredo Pereira de
Para um estudo da evolução urbana de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim Municipal: Organização das Secções Cultural e de Propaganda, nº 7 [Dez. 1970], p. 7-16 (il.)
Descritores: Moçambique | Região económica | Urbanismo | História
Cota: 3172|IICT

[87284]
LIMA, Alfredo Pereira de
A primeira bandeira da cidade de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim Municipal: Organização das Secções Cultural e de Propaganda, nº 10 [Jun. 1972], p. 5-9 (il.)
Descritores: Moçambique | Região económica | Administração local | Bandeira | História
Cota: 3172|IICT

[87310]
LIMA, Alfredo Pereira de
Os últimos ferros forjados da era victoriana em Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim Municipal: Organização das Secções Cultural e de Propaganda, nº 13 [Dez. 1973], p. 15-19 (fot.)
Descritores: Moçambique | Região económica | Obras de engenharia civil | História
Cota: 3172|IICT

[93594]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casa que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
Descritores: Moçambique | Zona urbana | Obras de engenharia civil | Edifício | História
Cota: 1083|IICT

[105137]
LIMA, Alfredo Pereira de
Influência portuguesa na africanização do trono dos reis dos Zulos / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Camâra do Comércio .- nº 5 (Jun-Set 1967), p. 80-82
Descritores: Moçambique | Grupo étnico | Portugal | História
Cota: MU PP-3|ICP

[105141]
LIMA, Alfredo Pereira de
A cidade de Lourenço Marques : os primeiros privilégios municipais / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Camâra do Comércio .- nº 24 (Abr-Jun 1972), p. 79-83
Descritores: Moçambique | Cidade | Administração local
Cota: MU PP-3|ICP

[105145]
LIMA, Alfredo Pereira de
O crescimento ordenado da cidade : curiosos aspectos dos problemas de remoçaão de lixos e do combate contra fogos / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Camâra do Comércio .- nº 26 (Out- Dezt 1972), p. 65-76
Descritores: Moçambique | Cidade | Urbanismo | Lixo doméstico | Saneamento
Cota: MU PP-3|ICP

[105147]
LIMA, Alfredo Pereira de
Os antecedentes do tratado Luso-transvaliano de 1869 / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Camâra do Comércio .- nº 27 (Jan- Mar 1973), p. 65-72
Descritores: Moçambique | Acordo internacional | História
Cota: MU PP-3|ICP

[105149]
LIMA, Alfredo Pereira de
A introdução do telegrafo em Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Camâra do Comércio .- nº 28 (Abr- Jun 1973), p. 57-61
Descritores: Moçambique | Telégrafo | História
Cota: MU PP-3|ICP

[105152]
LIMA, Alfredo Pereira de
Quando a telegrafia sem fios chegou a Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Camâra do Comércio .- nº 30 (Out. Dez 1973), p. 51-56
Descritores: Moçambique | História | Telégrafo
Cota: MU PP-3|ICP

[132441]
LIMA, Alfredo Pereira de
A história de Louis Trichardt / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques, 1964. – 137 p.
Descritores: Biografia | Economia | Moçambique
Cota: MOB-2545|BNU

[132617]
LIMA, Alfredo Pereira de
O palácio municipal de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Câmara Municipal de Lourenço Marques, 1967. – 115 p.
Descritores: Edifício | Administração local | Moçambique
Cota: MOB-2707|BNU

[133289]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casas que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lisboa, 1968. – 71 p.. – Separata de Stvdia, n.º 24, Agosto de 1968
Descritores: Edifício | Moçambique
Cota: MOB-3022|BNU

[134485]
LIMA, Alfredo Pereira de
Edifícios históricos de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – : Livraria Académica, [19–?]. – 235 p.
Descritores: Edifício | Moçambique
Cota: MOB-996|BNU

[135717]
LIMA, Alfredo Pereira de
Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Liman. – Lisboa : Editorial de Publicações Turísticas, 1963. – Pag. var.. – Turismo. 9)
Descritores: Turismo | Moçambique
Cota: MOB-1968|BNU

[136147]
LIMA, Alfredo Pereira de
Na pista do tesouro de Kruger : factos, angústias e desilusões / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques, 1963. – 126 p.
Descritores: Literatura | História | Moçambique
Cota: MOB-462|BNU

[137644]
LIMA, Alfredo Pereira de
Influência portuguesa na africanização do trono dos reis dos zulus / Alfredo Pereira de Lima
In: Boletim da Câmara do Comércio de Lourenço Marques.- N.º 5 , 3º trimestre (Julho/Setembro de 1967), pp. 80 – 83
Descritores: História Antiga | Africa
Cota: PP-12|BNU

[138277]
LIMA, Alfredo Pereira de
História dos caminhos de ferro de Moçambique / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Adm. dos Portos, Caminhos de Ferro e Transportes de Moçambique, 1971. – 3 v. ; 31 cm
Descritores: Moçambique | Transporte ferroviário
Cota: S.A. 6288 A.|BN ¤ S.A. 6289 A.|BN ¤ S.A. 6290 A.|BN

[138567]
LIMA, Alfredo Pereira de
Para as histórias das comunicações em Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques, 1974. – 268, [1] p. : il. ; 22 cm
Descritores: Moçambique | Telecomunicações
Cota: S.A. 45078 V.|BN

[141405]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casas que fizeram Lourenço Marques / por Alfredo Pereira de Lima. – Lisboa : Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1968. – 71 p., [1] f. : il. ; 23 cm
Descritores: Moçambique | História | Urbanismo
Cota: H.G. 26335 V.|BN|307916

[147870]
LIMA, Alfredo Pereira de
Edifícios históricos de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Académica, 1966. – 233 p : il.
Descritores: Moçambique | História | Edifício | Monumento
Cota: TMF 3-12|BCM

[147875]
LIMA, Alfredo Pereira de
O palácio munincipal de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : [Camara Municipal], [1967]. – 115 p
Descritores: Moçambique | História | Edifício | Monumento
Cota: TMF 3-11|BCM

[147876]
Terras de Moamba
Terras de Moamba / Alfredo Pereira de Lima, António Rodrigues Marques. – MOamba : [Camara Municipal], 1973. – 89 p
Descritores: Moçambique | História
Cota: TMF-3-10|BCM

[150218]
LIMA, Alfredo Pereira de
Os milhões de Kunger / Alfredo Pereira de Lima. – Lourenço Marques : Minerva Central, 1963. – 78 p.
Descritores: Moçambique | África do Sul | história
Cota: AP 78/63|AR

[177575]
LIMA, Alfredo Pereira de
Casas que fizeram Lourenço Marques / Alfredo Pereira Lima
In: Studia : revista semestral. – Nº 24 (1968), p. 7-71
Descritores: Moçambique | Edifício
Cota: PT PE-TR|AHNCV

[209697]
LIMA, Alfredo Pereira de
Os fundamentos da transferência da capital para Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Ilustrado. Segundo premio Cidade de Lourenço Marques, do concurso literário de 1965.
In: Boletim Municipal. – nº 1 (1967), p. 19-28
Descritores: África | Moçambique | Literatura | Concurso público
Cota: PP48|AHM

[209711]
LIMA, Alfredo Pereira de
A primeira bandeira da cidade de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Ilustrado.
In: Boletim Municipal. – nº 10 (1972), p. 5-9
Descritores: África | Moçambique | História
Cota: PP48|AHM

[211315]
LIMA, Alfredo Pereira de
Para um estudo da evolução urbana de Lourenço Marques / Alfredo Pereira de Lima. – Contém plantas
In: Boletim Municipal. – Nº 7 (1970), p. 7-16
Descritores: África lusófona | Moçambique | Urbanismo
Cota: PP48|AHM

[212607]
LIMA, Alfredo Pereira de
Candiso José Mourão / Alfredo Pereira de Lima
In: Moçambique : Documentário trimestral. – nº 27 (Set. 1941)
Descritores: Moçambique | História
Cota: PP30|AHM

[217269]
LIMA, Alfredo Pereira de
Assim nasceu a Marginal / Alfredo Pereira de Lima. – Contém ilustraçoês
In: Facho- Sonap. – 28 (1974), p. 4-5
Descritores: África | Moçambique | Literatura | Belas-artes
Cota: PP557|AHM

[313737]
LIMA, Alfredo Pereira de
Cartograma da penetraçäo goesa em Moçambique : séculos XVI a XIX : nota explicativa do quadro existente na Casa de Goa, em Lourenço Marques / esbôço de estudo de A. Pereira de Lima ; execuçäo de José Manuel da Fonseca. – Lourenço Marques : Imprensa Nacional de Moçambique, 19-?. – 24 p. ; 22 cm
Descritores: História | Índia
CDU: 94(547)
Cota: CEHU-S/cota|IICT

Create a free website or blog at WordPress.com.